CULTURA

CULTURA -

Viagem ‘Do Ferro ao Ouro’ oferece mais de 139 espectáculos em Esposende, Barcelos e Braga

Share on facebook
Share on twitter
Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

São um total de 139 espectáculos que o projecto ‘Do Ferro ao Ouro’ promove nos concelhos de Esposende, Barcelos e Braga, entre os meses de Junho e Setembro, em duas dezenas de locais que valorizam o património cultural.

Privilegiando a realização de eventos associados ao património, à cultura e a bens culturais, o projecto, apresentado esta sexta-feira em Esposende, visa a divulgação e integração territorial, envolvendo criações, recriações, performances, experiências imersivas e reinterpretações e olhares que entrecruzam o contemporâneo e a história e o património do território.

Para a vereadora da Cultura de Esposende, Angélica Cruz, este projecto “proporciona uma viagem no tempo e no território, recorrendo a formatos múltiplos e multidisciplinares, potenciando a participação da população e o aumento de fluxos turísticos”.

PUBLICIDADE

Armandina Saleiro, vereadora da Cultura de Barcelos vincou “o desafio” que constituiu “criar um programa em rede e de qualidade, com o objectivo de envolver todos os grupos culturais e a população”.

Já Lídia Dias, do município de Braga, destacou a importância do momento para o território, na medida em que “este tempo excepcional abalroou os hábitos e rotinas associados à cultura e, através de um trabalho técnico de enorme qualidade, podemos apresentar programas tão ricos que atraiam público”.

Também Maranhão Peixoto, presidente do conselho de Administração da Esposende 2000, parceira do evento, enalteceu “o importante trabalho que este projecto encerra de preservação da cultura e da memória colectiva”.

Rafael Amorim, Secretário da Comunidade Intermunicipal do Cávado, entidade impulsionadora da candidatura, é apologista do “trabalho em rede”, como forma de chegar às gerações mais novas, “porque são mais exigentes e querem perceber de onde vimos, mas querem que lhes expliquem de uma forma muito sólida e esteticamente apelativa”.

Para Benjamim Pereira, presidente da Câmara de Esposende, esta candidatura “é uma excelente oportunidade para valorizar o território, a cultura, o património cultural, natural e imaterial, na base da sustentabilidade, dinamizando práticas artísticas e culturais, sensibilizando e promovendo a participação cívica, a fruição cultural e patrimonial e da responsabilidade ambiental e social”.

Segundo os promotores, o ‘Do Ferro ao Ouro’ pretende proporcionar “uma vivência ao longo dos tempos e da sua (re)descoberta e (re)interpretação, através do robustecimento da oferta turístico-cultural, potenciando a atracção de fluxos turísticos crescentes, envolvendo, simultaneamente, a participação directa das comunidades locais, por um lado, através da extensa rede de parceiros e, por outro, privilegiará a mediação criativa e interacção directa com o público, envolvendo activa e directamente as comunidades nos processos performativos”.

Tendo presente a perspectiva de viagem no tempo e no território, a própria designação da operação decorre dessa simbiose. “’Do Ferro ao Ouro” é, assim, a transmutação temporal e territorial dos percursos artísticos e históricos, deambulando pelo território do baixo Cávado, desde o período da idade do ferro ao esplendor áureo do período barroco”.

ENTRADA LIVRE

Uma programação intensa e heterogénea que se entrecruza no tempo e no espaço, envolvendo criações, recriações, performances, experiências imersivas e reinterpretações e olhares que entrecruzam o contemporâneo e a história e o património do território, com “contributos de excelência de diversas organizações, entidades e agentes culturais, profissionais e não profissionais, de diferentes origens e proveniências, de inquestionável qualidade e notoriedade”.

A programação cultural em rede é promovida em parceria pelo município esposendense – que assume a condição de parceiro líder – e pelos municípios de Barcelos e Braga, e pela Esposende 2000, estas na qualidade de entidades co-promotoras. O total do investimento ascende a mais de 313.000 euros, sendo investimento elegível 296.000 euros, comparticipado a 100% pelo FEDER.

Está previsto um total de 139 eventos/iniciativas no quadro da sua programação cultural, dos quais 13 eventos de carácter internacional, sendo que 84% do total da programação decorre ao ar livre. 

Com esta ampla gama de acções e eventos que o compõem, o projecto procura mobilizar uma grande diversidade de públicos, de origem local, regional, nacional e internacional.

O programa cultural da operação ‘Do Ferro ao Ouro’ integra acções e eventos culturais em 21 locais associados a espaços distintivos que valorizam o património cultural, considerando-se entre eles sítios arqueológicos, monumentos, jardins históricos, museus e palácios, bem assim como espaços de património paisagístico e locais de interesse patrimonial e turístico.

Atendendo aos períodos históricos, a programação assenta em três acções principais: O Galaico-Romano (programada e operacionalizada pelo município de Esposende), O Legado Medieval (município de Barcelos) e O Esplendor Áureo (município de Braga).

Todos os eventos do programa são de acesso gratuito, estando todas as actividades sujeitas às normas da Direcção-Geral da Saúde em vigor na altura da sua realização. 

Programa actualizado está acessível online em www.do-ferro-ao-ouro.pt ou através da página do Facebook do evento.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.