COVID-19

COVID-19 -

Vila Verde continua em nível de risco extremamente elevado

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O concelho de Vila Verde continua no nível de risco extremamente elevado, de acordo com a mais recente actualização da Direcção-Geral da Saúde (DGS), que apresenta a incidência cumulativa tendo em conta o número de novos casos por cada 100 habitantes.

Como é habitual, o boletim diário da DGS desta segunda-feira mostra a incidência cumulativa a 14 dias, designadamente no período compreendido entre 30 de Dezembro e 12 de Janeiro, em todos os concelhos do país.

PUBLICIDADE

No caso de Vila Verde, a incidência cumulativa é 1.307, quando na anterior actualização era de 998.

Em todos os outros concelhos do Cávado, os números são agora mais elevados do que os registados no período entre 23 de Dezembro e 5 de Janeiro.

No nível de risco extremamente elevado, como Vila Verde, continuam Esposende que tem uma incidência cumulativa de 1.747 (era 1.270) e Barcelos com 1.315 (era 1.082). Juntam-se agora Terras de Bouro com 1.085 (era 849) e Braga com 1.043 (era 750).

Amares é o único concelho do Cávado que não se encontra no patamar máximo, estando classificado como sendo de risco muito elevado, com uma taxa de incidência de 932 (era 673).

A incidência cumulativa a 14 dias de infecção por SARS-CoV-2/Covid-19 corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada, por concelho.

O relatório completo pode ser consultado AQUI.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS