VILA VERDE

VILA VERDE -

Município lança concurso público para a execução de dois troços da Ecovia do Cávado e Homem

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Município de Vila Verde lançou a concurso público as empreitadas de execução de dois troços da Ecovia do Cávado e Homem.

Estes troços, que estabelecem a ligação entre as praias fluviais do Faial, na Vila de Prado, e Mirante, em Soutelo (2.45 km), e entre o Mirante e Porto Carrero (1.3 km), «representam uma primeira fase de concretização, no território do Concelho de Vila Verde, de uma infraestrutura âncora para a coesão territorial dos seis concelhos envolvidos neste projeto intermunicipal da CIM Cávado e para a promoção e desenvolvimento das elevadas potencialidades turísticas das zonas ribeirinhas dos rios Cávado e Homem», pode ler-se em comunicado enviado pelo Município.

Os trabalhos a executar na construção destes troços da Ecovia do Cávado visam a «promoção do turismo e da economia da região, bem como da qualidade de vida das populações, em especial das freguesias pelos mesmos percorridas».

PUBLICIDADE

PONTE PEDONAL

Para além destas obras, encontra-se já em «fase de execução a ponte pedonal sobre o rio Homem», que liga os concelhos de Vila Verde e Amares, sendo que o conjunto das três intervenções, «ultrapassam 1,5 M€ comparticipados por fundos comunitários». 

PERCURSOS

O percurso do Rio Cávado (ERC), liga Esposende ao Concelho de Amares, passando por Vila Verde, com uma extensão de 55 quilómetros, e o percurso do Rio Homem (ERH) tem uma extensão de 20 quilómetros, ligando a Ecovia do Rio Cávado a Terras de Bouro.

«PROJECTO DE GRANDE RELEVO PARA A VALORIZAÇÃO DOS RIOS CÁVADO E HOMEM»

Na mesma nota, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, sublinha que «o avanço destes dois troços da Ecovia do Cávado e Homem é o primeiro passo, no território concelhio, da concretização de um projeto intermunicipal de grande relevo para a valorização das enormes potencialidades dos rios Cávado e Homem e para a colocação das zonas ribeirinhas efetivamente ao serviço do bem-estar e da qualidade de vida das populações».

«Apesar das dificuldades que sempre surgem em projetos desta natureza e magnitude, nomeadamente no tocante à negociação de terrenos com os respetivos proprietários, a Ecovia é um projeto para concretizar, na sua plenitude, a médio prazo, na medida em que representa uma mais-valia para o desenvolvimento do turismo e da economia da região», conclui. 

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS