ELETRICIDADE (Preços)

ELETRICIDADE (Preços) -

Afinal, factura da electricidade pode ficar até 13 euros mais cara já a partir de Junho

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A partir do próximo dia 1 de Junho, os consumidores de electricidade vão assistir a um aumento nas tarifas de acesso às redes, conforme proposto pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), o que fará com que a factura fique mais cara ao final do mês, apesar da redução do preço da electricidade que pode rondar os 10%.

Os especialistas da Deco explicam que enquanto a evolução do mercado energético tem permitido a alguns comercializadores reduzir a parcela variável das facturas, devido à queda nos preços da energia no mercado grossista desde Janeiro, os consumidores podem não sentir os efeitos positivos dessa redução após Junho.

Apesar de todos os comercializadores serem obrigados a reflectir o aumento das tarifas de acesso nas facturas, não há exigência para que repassem as reduções nos preços da energia. Essa decisão fica a critério de cada empresa, podendo os consumidores enfrentar aumentos significativos nas despesas mensais com electricidade.

Agora, previsto para o dia 1 de Junho, a ERSE propõe um aumento médio de 35,60 euros por megawatt-hora. um cenário de consumo de 150 kWh mensais, a tarifa de acesso pode subir 5,34 euros. Já para um consumo mensal de 300 kWh, a subida das tarifas de acesso pode chegar aos 10,68 euros. A estes valores acresce IVA, com diferentes taxas, o que pode somar 6 a 13 euros mensais às facturas actuais, para os perfis de consumo mais comuns.

A DECO PROteste aconselha os consumidores a monitorizar atentamente as suas facturas a partir de Junho e, caso percebam aumentos substanciais, a considerar optar por tarifários mais vantajosos, adaptados às novas realidades do mercado.

Estes são os principais pontos que deve considerar no actual cenário do mercado da electricidade:

  • Estabilidade no mercado regulado: As facturas dos consumidores no mercado regulado devem permanecer estáveis, pois os preços são definidos pela ERSE e serão compensados pela proposta de aumento das tarifas de acesso.
  • Flexibilidade para mudanças de comercializador: Os consumidores têm a liberdade de mudar de comercializador a qualquer momento, sem períodos de fidelização, permitindo a busca por tarifários mais competitivos.
  • Possíveis alterações futuras: O mercado de electricidade permanece instável, e não há garantias de que não ocorrerão mais mudanças nas tarifas de acesso ao longo do ano.

Perante este cenário, os consumidores são aconselhados a permanecerem vigilantes e a avaliarem as suas opções para garantir que estão a ter o melhor custo-benefício em relação às suas despesas com electricidade.

ovilaverdense@gmail.com

Com Executive Digest

 

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
3€ / mês

* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 36€ / ano.