Artesanato, brinquedos e cake design os novos produtos - Aí estão os 38 dias “Namorar Portugal”

Artesanato, brinquedos e cake design os novos produtos -
Aí estão os 38 dias “Namorar Portugal”

41 novas linhas de produtos e três produtos novos marcam os 38 dias da programação “Namorar Portugal” que entre os dias 15 de Janeiro e 3 de Fevereiro promete «por Vila Verde no mapa nacional». Artesanato, exposições, música, desfiles de moda e acessórios, passeios na natureza, gastronomia e workshops vão colocar o amor na boca e nas acções de milhares de pessoas.

«Este é um programa consolidado que chega a todo o território nacional», começou por dizer o Presidente da Câmara. Para António Vilela o “Namorar Portugal” «valoriza o território de Vila Verde, o seu património com um conjunto de actividades para ele direccionado, incluindo na natureza».

São mais de 100 parceiros associados à marca «com momentos que vão atrair a Vila Verde pessoas de fora e Vila Verde vai ser falada em todo o país através da Comunicação Social e não só». O autarca reconhece que «a adesão de novos parceiros ou a criação de novas linhas de produtos são o sinal da vitalidade da marca “Namorar Portugal” e do aumento do volume de negócios desses parceiros».

PUBLICIDADE

Novos produtos

A Vereadora da Cultura, Júlia Fernandes, revelou que os novos parceiros são na área do artesanato «com pequenos acessórios feitos à mão, direccionados para as senhoras, como corações que depois se aplicam, criados por duas artesãs de Soutelo».

Da Póvoa de Lanhoso vêm «brinquedos para a primeira infância». Finalmente, haverá uma linha de “cake design” que permitirá decorar bolos com motivos do “Namorar Portugal”.

Crescimento da marca

Dez anos depois a “Namorar Portugal” está «em processo de crescimento contínuo e não vai parar», acrescenta António Vilela, «porque temos muita gente a querer entrar na marca e os que já cá estão apresentam sempre linhas de produtos novas».

No início «tínhamos que andar a convencer as pessoas da vantagem de pertencer a esta marca», lembra Júlia Fernandes, agora «não precisamos de fazer nada porque são as pessoas que nos procuram». A Vereador não tem dúvidas que «as pessoas sentem orgulho na marca».