BRAGA

BRAGA -

Altino Bessa apela a “olhar atento” para crianças e jovens em risco

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O presidente da Concelhia de Braga do CDS-PP considera que conjuntura actual de pandemia covid-19 obriga ao reforço de identificação de “estratégias adaptadas e ágeis” de promoção e protecção dos direitos das crianças e jovens, promovendo “o olhar atento e o envolvimento da sociedade em geral”.

Em nota ao “PressMinho/OVilaverdense”, Altino Bessa afirma que, “reduzidos a um confinamento imposto pela fase pandémica que vivemos”, “é tempo de pensar as consequências deste”, nomeadamente o “agravamento das problemáticas sociais”.

Analisando as notícias que dão conta que durante a pandemia a sinalização de crianças em risco caiu 52%., Bessa explica que a redução “pode ser justificada pelo corte – imposto pelo confinamento – do ‘contacto directo’ entre entidades que comunicam estas situações (como polícias, escolas, associações, clubes e até particulares) e as crianças e jovens”.

PUBLICIDADE

O também vereador da Câmara Municipal de Braga lembra que “está sob alçada de todos os cidadãos a responsabilidade de minorar os efeitos que o isolamento social pode ter neste contexto”.

O líder dos centristas bracarenses aconselha um “olhar” que “deve ser prático, célere e eficaz”.

“Por vezes estas e outras situações são vetadas a um emaranhado de burocracia que pode levar a cenários mais trágicos. É altura de nos focarmos no que realmente importa: a segurança e bem-estar das nossas crianças e jovens”, diz.

“Com esta ‘chamada de atenção’ pretendemos mobilizar a sociedade civil, sensibilizando-a e informando-a do seu papel insubstituível na ajuda às crianças e jovens em risco”, vinca.

Importa, acrescenta Altino Bessa, que “cada um de nós cumpra o seu papel, estando atento, sinalizando as situações de suspeita de negligência, maus tratos e abusos às entidades competentes em matéria de infância e juventude. É este cuidado e atenção que pode, muitas vezes, fazer a diferença”

“Os centristas, na senda das orientações gerais para a protecção de crianças e jovens em circunstância excepcional, encetadas pela Coordenação Nacional da CPCJ [Comissão de Protecção de Crianças e Jovens] apela a que todos os que detectem situações suspeitas, procedam à sua denúncia”, frisa.

“Nos dias que correm estamos a um ‘clique’ de poder ser agentes responsáveis pelos que nos rodeiam. Agora que se tornou mais difícil sinalizar estes casos a partir da escola (por exemplo), a sociedade civil tem um papel assaz importante no combate a este flagelo”, refere.

“Não fiquemos indiferentes ao que nos rodeia”, reitera Altino Bessa.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.