POLÍTICA -

POLÍTICA - -

André Coelho Lima (PSD) diz que país tem de olhar distrito de Braga com outra atenção

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Puxar pelas forças e potencialidades do distrito, com uma campanha de propostas e soluções que melhorem a qualidade de vida das pessoas, é o compromisso assumido esta segunda-feira, pelo cabeça de lista do PSD às eleições legislativas pelo distrito de Braga, André Coelho Lima.

Na entrega da lista de candidatos a deputados, no Tribunal de Braga, onde o “vilaverdense” Rui Silva surge no oitavo lugar, Coelho Lima assumiu que os candidatos do partido vão «puxar pelas boas características do distrito» e lembrar que «o país tem de olhar esta região de outra forma e com toda a atenção».

O cabeça de lista do PSD insistiu na ideia de que Braga é «newcomer» – o próximo futuro – de Portugal, é o distrito que se segue a Lisboa e Porto, com quase um milhão de habitantes, com um setor industrial que é um grande portento nacional, e com a Universidade do Minho que está entre as 50 melhores do mundo com menos de 50 anos de vida.

PUBLICIDADE

«Somos um distrito dinâmico, com grandes tradições populares e daí que tenhamos orgulho das nossas raízes. O país deve olhar de outra forma para Braga», assinalou.

A título de exemplo, apontou o da criação do Quadrilátero Urbano, com as cidades de Braga, Guimarães, Famalicão e Barcelos, e sublinhou que as quatro urbes «souberam cerzir as suas idiossincrasias e unir-se em prol dos cidadãos».

«Faremos um discurso sempre positivo, mas a puxar pelas nossas características e exigindo a devida atenção do poder central”, acentuou, garantindo que “o distrito está bem representado na lista, e que o partido está unido, coeso e com ânsia de participação».

Questionado pelos jornalistas sobre qual será a primeira ação de pré-campanha, André Coelho Lima revelou que os candidatos vão visitar os 14 concelhos do distrito para se reunirem com todos os autarcas social-democratas, quer municipais quer de freguesia, numa ótica de proximidade e de valorização do poder local.

PSD: «O ÚNICO COM PROPOSTAS DE FUTURO»

Perguntado sobre qual o resultado que espera nas legislativas de outubro, o cabeça-de-lista do PSD por Braga vincou que «as pessoas vão decidir em quem vão votar e hoje ainda estão fazer a sua reflexão individual». Por isso, anotou, que «partir do princípio que as pessoas já optaram é um desrespeito por elas e pela sua reflexão».

Salientou que o PSD e o seu líder Rui Rio «partem para a disputa eleitoral com toda a humildade perante os eleitores batendo-se para que estes entendam que o atual governo em funções, com apoio PCP e BE, não apresenta futuro, e não consegue dar aos portugueses uma perspetiva risonha para amanhã».

«O PSD é o único com uma proposta efetiva de melhoria da vida das pessoas, e da concretização de reformas estruturais que lancem o país rumo ao progresso», disse, sublinhando que Portugal «tem sido como uma montanha-russa, de constante sobe-desce, mas que tem de começar a subir com consistência algo que só o PSD é o único capaz de fazer. As pessoas já perceberam que o PS faz a gestão do quotidiano, é o situacionismo, o poder pelo poder, que apenas conseguiu estabilidade, mas sem nenhum índice de desenvolvimento e sem quase nenhuma melhoria de vida das pessoas», afirmou, lembrando que os portugueses se habituaram a ver o PSD como alternativa, «como um partido que dá condições para que vivam melhor do que viviam ontem».

GENTE DA TERRA

Na ocasião, o presidente da Distrital de Braga do PSD, o eurodeputado José Manuel Fernandes manifestou o seu «regozijo» pelo facto de esta ser «a primeira vez em que todos os candidatos são oriundos ou vivem no distrito».

«A nossa lista representa todo o território e não tem paraquedistas; concilia a experiência e a juventude, valoriza o poder local, a proximidade e a coesão social, e é aquela que defende melhor o interesse do distrito, através de gente que conhece os problemas que os vive e que portanto melhor os pode representar», declarou.

E acrescentou: «Espero que a qualidade da lista, e a sua representatividade, sejam reconhecidas pelos cidadãos e que fique provado que vale a pena ter gente da terra; não podemos estar a criticar o centralismo, e as pessoas que não põem os pés no distrito, e depois não votarmos numa lista em que todos e cada cidadão do distrito se pode rever, desde o empresário, o agricultor, os pescadores de Esposende as pessoas do interior, os que defendem o empreendedorismo, as PME, e a economia forte mas também a inclusão e a área social».

«Aqueles que valorizam a proximidade podem e devem votar no PSD que é aquele que melhor os vai representar na Assembleia da República», concluiu.

Lista de Candidatos do PSD pelo Círculo Eleitoral de Braga

1 – André Coelho Lima – Guimarães, 45 anos, advogado
2 – Firmino Marques – Braga, 61 anos, profissional de seguros
3 – Clara Marques Mendes – Fafe, 49 anos, advogada
4 – Carlos Eduardo Reis – Barcelos, 35 anos, empresário
5 – Jorge Paulo Oliveira – VN Famalicão, 54 anos, advogado
6 – Gabriela Baptista – Póvoa de Lanhoso, 61 anos, professora
7 – Emídio Guerreiro – Guimarães, 54 anos,, psicólogo/gestor
8 – Rui Silva – Vila Verde, professor, 54 anos, professor
9 – Cidália Faria – Vizela, 40 anos, psicóloga
10 – Joel Sá – Barcelos, 44 anos, gestor
11 – Firmino Costa – JSD, 32 anos, administrador financeiro
12 – Cidália Abreu – Amares, 41 anos, psicóloga
13 – José Sousa – Celorico de Basto, 40 anos, técnico superior
14 – Cristina Palhares – TSD, 55 anos, professora
15 – Laura Magalhães – Cabeceiras de Basto, 31 anos, investigadora/educação
16 – José Carlos Dias – Terras de Bouro, 43 anos, professor
17 – Paula Santos – VN Famalicão, 43 anos, professora
18 – Ana Margarida Teixeira – Guimarães, 37 anos, advogada
19 – Luís Filipe Carvalho – Fafe, 47 anos, economista
SUPLENTES
1 – Otília Oliveira Castro – Barcelos, 48 anos, engenheira civil
2 – Martinha Couto Soares – Vila Verde, 57 anos, professora
3 – Luís Carlos Carvalho – Póvoa de Lanhoso, 30 anos, engenheiro de sistemas
4 – Elisa Lameiro Antunes – Terras de Bouro, 50 anos, assistente social
5 – Luís Manuel Carvalho – Amares, 33 anos, engenheiro civil

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS