VILA VERDE

VILA VERDE -

António Esquível apresenta-se com «espírito de missão» para ganhar Câmara para o PS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O candidato do PS à presidência da Câmara de Vila Verde, António Esquível Gomes, apresentou publicamente a candidatura às Eleições Autárquicas, garantindo fazê-lo «com espírito de missão» para «cumprir as necessidades da população» e «resolver definitivamente» as carências do concelho.

Com o Secretário-Geral Adjunto do partido, José Luís Carneiro, sentado na primeira fila, ao lado do líder da Distrital, Joaquim Barreto, o candidato socialista disse que Vila Verde precisa de «uma nova dinâmica, um novo ritmo e outra capacidade política para concretizar os anseios da população».

PUBLICIDADE

«Tenho noção plena das dificuldades, mas garanto-vos: não tenho medo. Conto com todos os que pretendem contribuir para o engrandecimento de Vila Verde, porque quero ser um pólo de união e não de divisão», garantiu.

Na sessão de apresentação da candidatura, realizada no auditório do Centro de Artes e Cultura, António Esquível Gomes destacou a fixação da população e a criação de emprego como principais prioridades, tendo anunciado a vontade de criar um centro de apoio ao empresário.

Enumerou ainda a melhoria das acessibilidades rodoviárias, em especial com as variantes a Vila Verde e a Oleiros, a extensão das redes de abastecimento de água e de saneamento básico e o reforço da autonomia das Juntas de Freguesia, a quem garantiu pretender atribuir mais recursos financeiros, como outros objectivos.

«Somos ambiciosos, mas também realistas. Está na hora de começar a recuperar o tempo perdido, de fazer melhor e de fazer diferente. Aquilo que prometo é trabalho, dedicação, empenho e lealdade. As palavras de ordem terão de ser estabilidade e união, sem diferenciação entre as pessoas», frisou.

A lista do PS mantém o vereador Luís Castro como “número dois” e tem agora Isabel Pinheiro de Oliveira no terceiro lugar. Os pradenses Manuel Rodrigues e Inês Ferraz Pereira (JS) fecham as cinco primeiras posições.

Na eleição para a Assembleia Municipal, a candidatura é encabeçada por Conceição Alves. O mandatário é Alberto Nídio Silva, enquanto o actual presidente da Junta de Soutelo, Filipe Silva, assume as funções de director de campanha.

OS ELOGIOS À RESILIÊNCIA

Antes de António Esquível, os discursos de José Luís Carneiro e de Joaquim Barreto enalteceram «a coragem e a responsabilidade» dos membros da Comissão Administrativo do PS de Vila Verde no processo de escolha dos candidatos.

Citando Salgado Zenha, o Secretário-Geral Adjunto do PS lembrou que «só é derrotado quem desiste de lutar» e afirmou que «o trabalho começa agora» para ser possível «criar uma verdadeira alternativa» em Vila Verde.

«O António Esquível é um autarca e um empresário, que tem um histórico de serviço à comunidade. É alguém que honra os valores do PS», frisou.

Na mesma linha, Barreto disse que o PS parte para estas eleições «de consciência tranquila» e «de cara levantada», «com humildade e responsabilidade», para uma luta que, contudo, «não será fácil».

«É com coragem, com humildade, com trabalho e com identificação com o povo vilaverdense que o PS se apresenta, porque as pessoas sabem aquilo que somos e aquilo que fizemos», frisou o líder da Distrital.

COM LUÍS FILIPE… SEM MORAIS

O ex-candidato do PS e ex-vereador na autarquia Luís Filipe Silva foi um dos presentes na sessão de apresentação da candidatura de António Esquível, o que não passou despercebido no discurso de Joaquim Barreto.

«Agradeço a presença do Luís Filipe Silva, que foi candidato em 2013 e obteve um grande resultado», apontou.

Já o candidato de 2017, o vereador José Morais, não esteve presente. Nem o seu nome foi alguma vez referido.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS