REGIÃO

REGIÃO -

Associação Cidadãos de Esposende quer reforço de meios da GNR para por cobro a mortes em poços a céu aberto

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Associação Cidadãos de Esposende enviou aos ministérios da Agricultura e da Administração Interna pedidos para verificar a “gravidade” da situação provocada por poços a céu aberto que continuam a matar, sobretudo animais, na União de Freguesias de Belinho e Mar.

A Eduardo Cabrita, titular da pasta da Administração Interna, a associação pede especificamente o reforço dos meios de intervenção da GNR.

PUBLICIDADE

Recorde-se que a Cidadãos de Esposende denunciou em Março passado a existência de “centenas” de poços a céu aberto naquela união de freguesias. Já em 30 de Julho deste ano. a revolta na população acentuou-se com a morte do sacristão da paróquia, que, aos 69 anos, foi encontrado sem vida num poço a céu aberto, num terreno sua propriedade.

“Apesar das imagens chocantes e de várias reportagens nos principais canais de televisão nacionais os animais continuam a morrer, alguns em poços cuja localização é desconhecida pelas entidades”, lamenta a associação em comunicado.

No passado domingo, responsáveis da associação acompanharam alguns populares de Belinho e Mar que denunciaram “dezenas de poços que não estão contabilizados nos 432 poços da lista oficial”, encontrando “vários animais mortos e em elevado estado de putrefacção”.

“Na visita realizada, foi possível verificar poços com acesso fácil, junto a caminhos usados para passeios a pé ou bicicleta, acessos à praia e tendo inclusive encontrado poços ‘disfarçados’ em pequenas construções de tijolo tentando o proprietário desta forma ocultar o perigo e a ilegalidade do poço”, relata.

Para os responsáveis da Cidadãos de Esposende “é prioritário conhecer a dimensão real dos poços a céu aberto não apenas em Belinho e Mar, mas em todo o concelho de Esposende e parar com as mortes diárias de animais, alertando para o elevado número de declarações para baixa no registo de animais por morte ou desaparecimento”.

A Cidadãos de Esposende reconhece que a situação tem merecido a “maior atenção” do SPENA – Serviço de Protecção da Natura da GNR.

“Os militares tem feito uma intervenção muito positiva, no entanto a dimensão do problema requer provavelmente um reforço de meios”, alerta.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.