EDUCAÇÃO –  BE vai questionar Governo sobre falta de operacionais na Escola de Prado

EDUCAÇÃO –
BE vai questionar Governo sobre falta de operacionais na Escola de Prado

O deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo círculo eleitoral de Braga, Pedro Soares, esteve esta segunda-feira na Escola Básica de Prado, onde se mostrou preocupado com a «carência muito acentuada» de assistentes operacionais, uma situação que vai expor ao Ministério da Educação.

«Neste momento, existem 23 operacionais e a escola deveria ter quase o dobro, no mínimo 37. Há uma diferença muito grande, que causa muitas preocupações à Direcção, nomeadamente em relação às garantias de acompanhamento dos alunos e dos vários espaços», explicou.

PUBLICIDADE

Segundo Pedro Soares, que falava após ter reunido com a Direcção do Agrupamento de Escolas de Prado, «neste momento é muito difícil conseguir garantir esse acompanhamento», o que «se agrava muito sempre que há a ausência de algum funcionário, por se encontrar de férias ou de baixa médica», o que deixa a escola «numa situação muito difícil».

O deputado bloquista mostrou-se satisfeito por constatar que as obras de requalificação da Escola Básica estão em curso e que as actividades lectivas têm decorrido «sem grande perturbação», permitindo resolver alguns problemas estruturais com vários anos, como as coberturas com amianto.

«Em termos pedagógicos, apesar de todas as dificuldades, a escola tem conseguido responder relativamente bem à procura e às necessidades educativas. Acolhe também um núcleo da comunidade cigana, que tem sido feito de forma bastante agregadora, o que é muito positivo. O ensino público tem que ter qualidade a todos os níveis», vincou.

DIRECTOR DEIXOU APELO

Na cerimónia de lançamento da primeira pedra das obras de requalificação da escola, no dia 2 de Outubro, o Director do Agrupamento de Escolas de Prado, José António Peixoto, deu conta da «situação crítica» vivida devido à falta de funcionários.

«Neste momento, o número é insuficiente, por vários factores, nomeadamente a saída de assistentes operacionais, doenças prolongadas e gravidez de risco», explicou.

A situação já foi reportada ao Delegado Regional da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE).

À ESPERA DE REUNIÃO COM VILELA

O deputado Pedro Soares lamentou que não tenha sido possível reunir com o presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, esta segunda-feira, aproveitando a visita que fez à Escola Básica de Prado.  E disse esperar que o autarca agende uma nova reunião.

«Queríamos aproveitar o facto de estarmos em Vila Verde para poder falar com o presidente de Câmara, não só sobre a escola, mas aproveitando para abordar outras questões, como as obras na extensão de saúde do Vade, matérias ambientais como o saneamento e também o processo de descentralização. O senhor presidente comunicou-nos que não tinha a agenda, ficamos a aguardar», explicou.