REGIÃO

REGIÃO -

Bienal de Cerveira expande-se pelo Norte através de quatro pólos expositivos

Share on facebook
Share on twitter
Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira volta a expandir-se pelo Norte do país com exposições gratuitas em Monção, Vila Praia de Âncora, Alfândega da Fé e Viana do Castelo.

“A singularidade estética da Bienal Internacional de Arte de Cerveira reside também na diversidade de narrativas e interpretações, apresentadas em diferentes contextos”, afirma o director artístico do evento, Cabral Pinto.

PUBLICIDADE

Reafirmando o seu papel como agente de descentralização cultural, a Fundação Bienal de Arte de Cerveira apresenta, assim, quatro pólos expositivos fora de Vila Nova de Cerveira: a Galeria de Arte do Cine Teatro João Verde (Monção), o Centro Cultural de Vila Praia de Âncora (V. P. de Âncora), a Casa da Cultura Mestre José Rodrigues (Alfândega da Fé) e a Galeria Noroeste – Fundação Caixa Agrícola do Noroeste (Viana do Castelo).

Com curadoria de Ricardo de Campos, a Galeria de Arte CTJV em Monção foi o primeiro espaço a abrir, com a exposição ‘Território Pintura’, que até 4 de Setembro apresenta 16 artistas portugueses e espanhóis, cuja problemática de trabalho possui como centro discursivo as questões vinculadas à pintura.

Já a exposição ‘Poéticas e imaginários – Travessias com múltiplas conexões’ abre portas esta sexta-feira no Centro Cultural de Vila Praia de Âncora e permanece aberta ao público até 13 de Setembro. A partir de 19 artistas, a curadora Isabel Lima propõe um olhar sobre a arte como uma arena de ideias e sentidos que oferece novas possibilidades e significados, num espaço e num tempo que se caracteriza pela complexidade e diversidade.

Este sábado, a Casa da Cultura Mestre José Rodrigues, em Alfândega da Fé, inaugura a mostra ‘Uma Cereja na Génese de Eugénio e Zé Rodrigues’, comissariada por Ágata Rodrigues e António Oliveira. Tendo como objectivo homenagear dois amigos que foram/são, simultaneamente, duas referências da cultura em Portugal, a exposição dá a conhecer as suas obras e poemas sobre a temática da cereja. Para tornar esta exposição mais genuína e rica, foi ainda pedida a colaboração de três amigos de ambos: Aurélio Mesquita, Artur Moreira e M. Sousa Pereira. A visitar até 30 de Setembro.

O último pólo expositivo a abrir é o de Viana do Castelo. De 28 de Agosto a 16 de Outubro 2020 a Galeria da Fundação Caixa Agrícola do Noroeste, apresenta a exposição ‘Livro de Artista, Diversidade de Espaços’, comissariada por Fernanda Boas. A partir de livros de artista de 19 criadores, apresenta-se uma diversidade de narrativas, de novas presenças e identidades que abrem portas para um entendimento individual e para a complexidade das interpretações.

As inaugurações são restritas, mas têm transmissão em directo a partir da página oficial do Facebook e no canal de Youtube da Fundação Bienal de Arte de Cerveira.

Recorde-se que a Bienal de Arte de Cerveira permanece de portas abertas até 31 de Dezembro de 2020, para apresentar mais de 350 obras de cerca de 370 artistas de 38 países.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS