REGIÃO

REGIÃO -

Bloco questiona Governo sobre traçado alternativo proposto para linha de muito alta tensão em Vieira do Minho

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Os deputados do Bloco de Esquerda (BE) eleitos pelo círculo de Braga querem que o Governo avalie traçado alternativo proposto pela população para linha de muito alta tensão Ribeira de Pena – Vieira do Minho, da Rede Eléctrica Nacional (REN).

José Maria Cardoso e Alexandra Vieira pretende conhecer a avaliação do sobre o traçado alternativo proposto pelas associações e população das freguesias de Vieira do Minho abrangidas pelo projecto, se estão as medidas propostas na declaração de impacte ambiental salvaguardam os valores ambientais da área afectada e se o Governo exigir à REN a alteração do traçado que abrange a União de Freguesias de Ruivães e Campos, a freguesia de Rossas e outras povoações afectadas pelo projecto.

Os bloquistas alertam para os “impactes ambientais, sociais e económicos” que a linha pode provocar o traçado nas populações naquelas freguesias

PUBLICIDADE

No documento enviado ao Ministério do Ambiente e da Acção Climática, os deputados referem que foram submetidos dois procedimentos de Avaliação de Impacte Ambiental. “Em Maio de 2019, obteve uma Declaração de Impacte Ambiental (DIA) desfavorável por não ser compatível com a salvaguarda dos valores ambientais da área afectada, nomeadamente por provocar impactes negativos significativos em espécies faunísticas, perímetros florestais, património agrícola e geossítio”

Já em Março  deste ano, acrescentam, obteve “DIA favorável condicionada identifica impactes negativos relevantes em três alcateias de lobo-ibérico (espécie protegida e classificada “em perigo” de extinção), colisões de espécies avifaunísticas ameaçadas, intrusão visual na paisagem e perda de qualidade cénica de áreas agrícolas, espaços naturais, pastagens e lameiros, áreas florestais, cursos de água, entre outras áreas importantes”.

“Apesar de todos os impactes negativos do projecto, muitos deles com ocorrência em Vieira do Minho, a Câmara Municipal optou por não se manifestar quando lhe foi solicitada pronúncia pela Agência Portuguesa do Ambiente, conforme consta da DIA de Março de 2021”, lamentam os deputados.

Os deputados afirmam que “associações e residentes da União de Freguesias de Ruivães e Campos discordam da passagem da linha de muito alta tensão no corredor Norte pelos impactes negativos que esta irá causar na paisagem, no ambiente, na biodiversidade e nas actividades mais importantes da zona, nomeadamente o turismo rural e da natureza, e a agricultura”. 

“A população propõe um traçado alternativo por entender que terá menor impacte na região”, salientam.

O projecto da Linha Dupla Ribeira de Pena – Vieira do Minho prevê a instalação de uma linha aérea de muito alta tensão, a 400 kV, com 26,5 quilómetros entre Ribeira de Pena e Vieira do Minho. A linha atravessa ainda os concelhos de Cabeceiras de Basto e Montalegre. Para as freguesias de Vieira do Minho estão projectados 15 apoios constituídos por estruturas metálicas treliçadas.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS