CONCERTAR ACÇÕES Braga e Guimarães formalizam Programa Intermunicipal dos Sacromontes

CONCERTAR ACÇÕES
Braga e Guimarães formalizam Programa Intermunicipal dos Sacromontes

Concertar ações que visam a promoção e qualificação de um território, com 2500 hectares, pontuado por um conjunto de símbolos identitários notáveis: Santuário do Bom Jesus do Monte, Santuário do Sameiro, Capela de Santa Maria Madalena, Capela de Santa Marta do Leão e povoados castrejos de Santa Marta das Cortiças, Briteiros e Sabroso. É este o propósito do acordo agora assinado entre os Municípios de Braga e Guimarães, que se intitula como Programa Intermunicipal dos Sacromontes.

O Município de Braga adiantou que o documento será agora remetido à Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza e à CCDR-N para tramitação processual tendente à aprovação do Programa.

PUBLICIDADE

Na ocasião, Ricardo Rio, presidente da Câmara, referiu que o programa visa preservar e valorizar este espaço notável que une os dois concelhos, único do ponto de vista ambiental, cultural, histórico, económico e turístico que é necessário potenciar no futuro.

«É uma iniciativa marcante pelo seu carácter inovador. Braga e Guimarães são referências nacionais e internacionais em diversos domínios, pelo que têm muito a ganhar ao trabalharem em conjunto», disse o autarca, que aproveitou o momento para lançar o repto aos agentes económicos para se mobilizarem em torno dos objetivos do programa.

DOMINGOS BRAGANÇA

Na ocasião, Domingos Bragança, presidente da Câmara Municipal de Guimarães, sublinhou que «há uma estreita cooperação entre os Municípios de modo a potenciar as valências comuns e para bem da região».

«Este programa permitirá que os dois Municípios apresentem candidaturas aos fundos europeus para a reabilitação do ponto de vista ambiental e a preservação dos equipamentos culturais existentes», realçou.

Os dois Municípios determinaram como principais objectivos: a segurança de pessoas e bens, a proteção de bens patrimoniais incluindo a valorização da área florestal através de uma estratégia de defesa contra incêndios; a valorização, reabilitação, restauro e promoção do património construído e natural; a definição dos mecanismos de operacionalização do Programa, através de ações para a gestão ativa da paisagem florestal e a promoção de modo integrado de toda a área, como conjunto de elevado valor patrimonial e turístico.

Para além dos presidentes das autarquias, a sessão contou com a presença de Cristina Guimarães, da CCDR-Norte, e dos vereadores Miguel Bandeira (CM Braga) e Fernando Seara de Sá (CM Guimarães).

Subscrição ao jornal - Papel
 
NIB: XXXX XXXX XXXXXXXXXXX XX
IBAN: XXXX XXXX XXXX XXXXXXXXXXX XX
SWIFT/BIC: XXXXXXXX

close-link