REGIÃO -

REGIÃO - -

Câmara de Barcelos e ATAHCA querem alargar OPEN B ao Concelho

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Presidente da Câmara Municipal em exercício de funções, Armandina Saleiro, e o Presidente da ATAHCA, José da Mota Alves, estão «em sintonia sobre a necessidade de alargar a todo o concelho de Barcelos o quarto Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS), que deve iniciar-se no quarto trimestre de 2019».

A conclusão surgiu no encerramento do CLDS 3G — Projecto OPEN B, — numa sessão realizada na última sexta-feira, na sede de Junta de Freguesia de Arcozelo, marcada pela apresentação de uma revista que resume a actividade desenvolvida ao longo dos últimos 42 meses.

O OPEN B — Oportunidades, Parcerias, Empreendedorismo no Núcleo de Barcelos — deu corpo ao CLDS 3G (Programa Operacional, Inclusão Social e Emprego), tendo sido coordenado pela ATAHCA (Associação de Desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave), em parceria com a Câmara Municipal de Barcelos, a ACIB (Associação Comercial e Industrial de Barcelos, GASC (Grupo de Acção Social Cristã), a Freguesia de Arcozelo e União de Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescaínha (S. Martinho e S. Pedro).

PUBLICIDADE

Armandina Saleiro, acedeu ao desafio lançado por José da Mota Alves, sobre «a necessidade de alargar este programa de inclusão social e humana a todo o concelho de Barcelos, mesmo que seja de uma forma informal», refere o CLDS 3G em nota enviada.

Os discursos, após a actuação do grupo de folclore do IAESM (Instituto Autodidacta de Estudos Superiores do Minho), abriram com Luciano Barros, coordenador técnico do OPEN B, seguindo-se Emílio Rego, em representação da Junta de Freguesia de Arcozelo, José Paulo Teixeira, presidente da União de Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescaínha.

Após a recitação da “Pedra Filosofal”, de António Gedeão, pelas adolescentes Alexandra Monteiro e Micaela Peixoto, tomaram a palavra António Barros, Director do Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes e Célia Barbosa. Seguiram-se Ilda Trilho, que falou em nome da ACIB e José da Mota Alves, presidente da ATAHCA.

«Tudo faremos para que possa ser alargado a todo o concelho de Barcelos, para que este comboio da mudança mantenha portas e janelas abertas às parcerias” — referiu o presidente da ATAHCA.

Já Armandina Saleiro lembrou que, no início do OPEN B, «foi com pena que não pôde chegar a todo o território de forma a mitigar desigualdades, promover a qualificação e formação humana e parental».

A presidente da Câmara Municipal de Barcelos agradeceu todo o trabalho desenvolvido e comprometeu-se a “tudo fazer para alargar a quarta geração destes CLDS a todo o concelho, mesmo que de modo informal”.

A sessão — animada pelos alunos seniores do Instituto Autodidacta de Estudos Superiores do Minho que evocaram profissões antigas e em desaparecimento — teve o momento alto com a inauguração de um mural de azulejos executado por alunos do Curso de Educação e Formação – Operador de Cerâmica, da Escola Gonçalo Nunes, sob orientação das professoras Maria José Machado e Teresa Coturela Cunha, com os elementos mais identificativos das terras da Princesa do Cávado.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS