VILA VERDE

VILA VERDE -

Câmara de Vila Verde com orçamento a rondar os 43 milhões de euros

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Câmara de Vila Verde apresenta, para 2021, uma proposta de Plano e Orçamento a rondar os 43 milhões de euros, anunciou a autarquia.

«O Plano e Orçamento para o ano 2021 foi elaborado num contexto da crise sanitária provocado pela pandemia por Covid-19 contemplando por isso medidas para ajudar todos os vilaverdenses a ultrapassar este difícil momento, e aponta também no sentido da recuperação económica e social, apostando fortemente em investimentos estruturantes susceptíveis de promover a atractividade territorial e de fomentar novos investimentos geradores de mais e melhores oportunidades de emprego no território concelhio», refere o Município em comunicado.

PUBLICIDADE

Na proposta inserta no documento pode ler-se que o mesmo «constitui um importante instrumento de planeamento de projectos e acções de intervenção no território concelhio que visam ir ao encontro das necessidades das populações e à ambição de um maior progresso económico e social».

«Centrando a atenção nas pessoas e na garantia da sua qualidade de vida, com especial acuidade na conjuntura de crise sanitária e económica e social resultante da pandemia Covid-19, mantém-se a aposta na protecção das famílias, na saúde, na educação, no apoio social e no investimento em infra-estruturas», acrescenta.

A este nível, o presidente da Câmara, António Vilela, sublinha que «se dará continuidade ao grande esforço que tem vindo a ser feito para aproveitar todas as oportunidades que poderão ser proporcionadas ainda no âmbito dos fundos de apoio comunitário Portugal 2020, mas também, e sobretudo, a pensar nas possibilidades de investimentos que surgirão no âmbito do “Plano de Recuperação e Resiliência” a lançar pelo Governo com o objectivo de promover a recuperação económica e social no período pós Covid-19 e ainda para perspectivar o desenvolvimento de projectos que poderão vir a ser enquadrados no âmbito do próximo quadro comunitário de apoio 2021-2025».

Segundo a autarquia, uma das grandes apostas reside na requalificação e reestruturação da rede rodoviária municipal, destinadas a melhorar a acessibilidade a todo o concelho, dando especial ênfase à melhoria das vias de comunicação às áreas de acolhimento de actividades económicas.

PROJECTOS

A Variante que liga a rotunda do canoísta na Vila de Prado/EN201 à Área de Acolhimento Empresarial (AAE) de Oleiros (Variante a Oleiros), o Eixo Periférico Norte-Sul – ligação da variante em Soutelo ao Parque Industrial de Gême, assim como a melhoria das acessibilidade às AAE do Neiva – Arcozelo e de Coucieiro, assumem-se como «projectos que permitirão aumentar a fluidez e segurança rodoviárias, a competitividade territorial e a atractividade para novos investimentos, única forma de debelar a crise económica e social resultante da estagnação da actividade por causa da pandemia».

«A requalificação e alargamento da rede viária estruturante municipal, como condição essencial para a segurança da circulação de pessoas e viaturas, associada à infra-estruturação das áreas destinadas ao acolhimento das actividades económicas, visa induzir o reforço da atractividade territorial para novos investimentos geradores de mais emprego e mais riqueza», considera António Vilela.

Na área da Saúde, o executivo camarário «manifesta-se totalmente empenhado em concluir o processo de modernização de todos os equipamentos de saúde concelhios com a entrada em funcionamento do posto de saúde do Vade e a requalificação e ampliação do centro de saúde de Pico de Regalados e do posto de saúde de Cervães».

Esta proposta orçamental, com uma previsão de receitas e de despesas que ascende a 42.973.847€, contempla igualmente, segundo a autarquia, «sólidas políticas de promoção e desenvolvimento cultural, a universalização do acesso dos vilaverdenses ao lazer e à prática desportiva, a modernização administrativa e o incentivo e apoio ao empreendedorismo e ao emprego».

JUNTAS DE FREGUESIA

No comunicado, António Vilela refere que, neste processo, «a Câmara Municipal de Vila Verde volta a contar com o incansável trabalho e permanente espírito de colaboração de todas as instituições, associações e Juntas de Freguesia, parceiras insubstituíveis na defesa dos superiores interesses e legítimos anseios das respectivas populações».

«Mesmo num clima de imprevisibilidade quanto ao futuro, o orçamento para 2021 aposta numa maior autonomia financeira das Juntas de Freguesia, enquanto representantes de um efectivo e eficaz poder de proximidade que conhece melhor do que ninguém as necessidades locais, para fazer face aos encargos resultantes da assunção das novas competências», frisa.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.