BRAGA –

BRAGA – -

CDU regista “coro de críticas” às obras na ‘urbanização da Makro’

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Carlos Almeida visitou no último sábado a ‘urbanização da Makro’, onde se “deparou com um coro de críticas” dos moradores à intervenção urbanística em curso no local. O vereador comunista na Câmara Municipal de Braga prometeu levar as queixas à próxima reunião do executivo.

Em comunicado enviado ao PressMinho/O Vilaverdense, a CDU justifica a vista com as “várias preocupações manifestadas pelos moradores, nas últimas semanas”, a propósito das obras em curso, denunciando “a indisponibilidade do município desde o primeiro momento para ouvir os moradores e acolher as suas propostas”.

PUBLICIDADE

Os moradores, citados pela coligação PCP- PEV, acusam a autarquia de ter “encenado uma apresentação pública de um projecto fechado num dia pouco convidativo durante o mês de Agosto”. Queixam-se ainda do tipo de intervenção em curso e da forma como está a ser executada, assinalando que o “projecto é desajustado da realidade concreta da urbanização”, pelo que está já “a agravar alguns dos problemas existentes”, e denunciam a “má execução da obra, com materiais de qualidade duvidosa, que já se apresentam quebrados”.

“OPORTUNIDADE PERDIDA”

No encontro, Carlos Almeida afirmou a sua concordância com a intervenção, ressalvando, contudo, que “as obras devem ser feitas para melhorar a qualidade de vida da população, não devem promover o contrário, tal como parece ser o que aqui se está a passar”.

Carlos Almeida afirmou “o que à partida podia ser uma mais-valia para melhorar as acessibilidades e o usufruto do espaço público, contribuindo para um ambiente melhor, esteja a transformar-se num problema, numa oportunidade perdida”.

“O município deveria de imediato abrir uma linha de diálogo com os moradores, com abertura para corrigir os problemas identificados, uma vez que há preocupações muito justas relacionadas com a insuficiência de fiscalização das obras, o caos no trânsito, a não intervenção nos equipamentos públicos, nomeadamente mobiliário urbano e parque infantil, ou a inexistência de alternativas para o estacionamento”, defendeu Almeida.

A CDU assumiu o compromisso com os moradores de, na próxima reunião do executivo municipal, “inquirir a maioria, solicitando uma resposta atempada às reivindicações da população daquela urbanização”.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS