BRAGA

BRAGA -

Centro Social Vale do Homem espera abrir creche este ano e pede celeridade do PRR

Share on facebook
Share on twitter
Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Centro Social do Vale do Homem (CSVH) prevê que a obra de construção do berçário e creche que está a edificar em Gualtar, Braga, fique concluída em outubro, o que poderá permitir a sua abertura ainda em 2024, com horários alargados ao período noturno. A instituição pede mais celeridade na disponibilização das verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

“Queremos abrir este ano. Temos garantia da empresa de construção – que até hoje tem cumprido os prazos – que em outubro a obra estará finalizada. A abertura vai depender depois de outras entidades que são nossa parceiras, nomeadamente o município de Braga e a Segurança Social, no que diz respeito à emissão da licença de utilização e licença de funcionamento”, disse o presidente do CSVH, esta sexta-feira, durante uma visita à obra.

Jorge Pereira adiantou que, nesta fase, existem 260 pré-inscrições para frequentar o Clube dos Pequenos, que terá 84 vagas, para crianças até aos três anos de idade. “A partir da próxima semana, durante o mês de junho, vamos contactar todos os 260 pré-inscritos para perceber as verdadeiras necessidades e o que pretendem de nós”, sublinhou o dirigente.

Em declarações aos jornalistas, à margem da visita, o presidente do CSVH, que tem a sua sede em Lanhas, no concelho de Vila Verde, aludiu também à existência de “grandes dificuldades” e “entropias” na disponibilização das verbas aprovadas no âmbito do PRR.

“Como se pode executar o PRR se o dinheiro não chega cá, se pagámos faturas e não o recebemos? Um dia destes, as empresas de construção também não aguentam, porque temos muitas faturas que devíamos pagar às empresas e não o conseguimos fazer porque não temos o dinheiro”, advertiu.

1,6 MILHÕES PARA RECEBER

A este respeito, Jorge Pereira disse que, no caso do FelizMente Lar, que foi o primeiro equipamento do setor social financiado pelo PRR a entrar em funcionamento, a instituição ainda espera receber 1,6 milhões de euros.

“Dezoito meses depois de abrir e de termos as licenças de utilização e de funcionamento e dezasseis meses depois de o então senhor primeiro ministro [António Costa] ter inaugurado o edifício, ainda temos um milhão e 600 mil euros para receber”, apontou.

Segundo Jorge Pereira, no caso do lar, também edificado em Gualtar, no concelho de Braga, o financiamento do PRR foi de cerca de dois milhões de euros. O custo total da obra rondou os cinco milhões.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
3€ / mês

* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 36€ / ano.