ALERTA:

ALERTA: -

Chuva persistente põe bacia do Cávado sob vigilância em dia de S. Martinho

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) alerta para a possibilidade de cheias rápidas em meio urbano e de inundações devido ao agravamento das condições meteorológicas previsto para domingo, dia de S. Martinho, com chuva persistente. A bacia do Cávado está sob vigilância.

A ANPC adianta que está acompanhar, através dos comandos distritais de Operações e Socorro, as bacias do Cavado, Douro, Vouga, Mondego, Tejo e Ribeiras do Oeste devido à chuva.

PUBLICIDADE

O alerta da Protecção Civil surge após o contacto realizada entre o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e o Comando Nacional de Operações de Socorro da ANPC, que prevê um agravamento das condições meteorológicas para domingo, onde ao longo de todo o dia ocorrerá precipitação persistente.

A Protecção Civil refere que o estado do tempo em Portugal Continental está, desde sexta-feira, “influenciado por uma corrente zonal à qual está associada uma massa de ar tropical, muito húmida, que é responsável por precipitação persistente, e por vezes forte”.

No entanto, sublinha, que no domingo vai aproximar-se “um vale nos níveis altos da troposfera, em processo de cavamento”, que poderá originar uma atmosfera instável, essencialmente nas regiões a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, onde poderão ocorrer eventuais trovoadas.

Tendo em conta estas condições meteorológicas, a Protecção Civil alerta para o piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água, possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem, e inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis.

A ANPC prevê também inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem, dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar cheias nos locais historicamente mais vulneráveis, possíveis acidentes em zonas historicamente inundáveis, bem como a obstrução de vias de circulação por queda de árvores, deslizamento ou desabamento de terras, pedras ou outras estruturas.

www.pressminho.pt

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS