OPINIÃO

OPINIÃO -

Como é importante protegermo-nos do sol

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O melanoma é um tumor maligno dos melanócitos, células existentes na nossa pele. Corresponde a 3-5% de todos os cancros da pele, tendo, porém, um peso de 70% na mortalidade provocada por todos os cancros cutâneos. 

Mas a nossa pele também pode ser atingida por outros tumores, como o carcinoma basocelular, localmente destrutivo, apesar de não produzir metástases, que corresponde ao mais comum dos cancros da pele (60% do total) ou o carcinoma espinocelular que, normalmente, ocorre em áreas foto expostas e representa 20% de todos os cancros cutâneos. A sua incidência aumenta com a idade e, ao contrário do basocelular, tem um crescimento mais rápido e produz metástases. São sempre precedidos de uma lesão pré-cancerosa, sendo muito importante o seu diagnóstico precoce.

Quando falamos em cancro da pele sabemos que o fator de risco mais importante é a exposição à radiação ultravioleta. Por isso, nesta altura do ano, faz ainda mais sentido falar-se na importância de nos protegermos da exposição solar. Importa dizer que, cada vez que sofremos com o que, vulgarmente, apelidamos de escaldão, estamos a contribuir para o aumento do risco de melanoma no futuro. Sabemos que queimaduras solares intensas e intermitentes são o maior fator de risco para o desenvolvimento de melanoma induzido pela exposição solar. Este fator de risco associado ao sol é diferente do que acontece no carcinoma basocelular ou espinocelular, cancros que estão mais associados à exposição a longo prazo e prolongada ao sol, ao invés de intermitente. Por exemplo, o risco de desenvolvimento do carcinoma basocelular correlaciona-se com a quantidade e a natureza da exposição acumulada, especialmente durante a infância. 

PUBLICIDADE

Perante isto, acho que não faltam argumentos para a importância de todos termos consciência de como devemos proteger-nos do sol e da radiação ultravioleta durante todo o ano, mas, especialmente, nestes meses de verão em que estamos todos mais expostos. Devemos estar cientes que os cuidados de proteção na praia devem ser redobrados uma vez que a areia e a água refletem a luz solar e aumentam a quantidade de radiação ultravioleta recebida. A aplicação regular de fotoprotetor e a sua reaplicação é recomendada antes e durante a exposição solar. Sabemos que as pessoas que utilizam os protetores solares têm uma redução do risco de cancro de pele de 40% comparativamente com as pessoas que não utilizam estes produtos. Os protetores solares devem ser aplicados 20-30 minutos antes das pessoas saírem para a praia e reaplicados a cada 2 horas ou mais frequentemente se nadar ou transpirar. Também a proteção das nossas crianças com protetor solar e com roupa adequada reduz o seu risco de cancro de pele no futuro. E para os pais que estiverem interessados em saber mais como proteger os seus filhos da radiação solar aconselho a consulta deste sítio, desenvolvido por pediatras e que conta com o apoio da Sociedade Portuguesa de Pediatria: http://criancaefamilia.spp.pt/promocao-de-saude/sol-esse-grande-amigo.aspx.

Proteja-se. Em saúde, como em tudo na vida, vale sempre mais prevenir do que remediar.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.