BRAGA – Cruz Vermelha cria centro de tratamento de demências em antiga escola de Braga

BRAGA –
Cruz Vermelha cria centro de tratamento de demências em antiga escola de Braga

A Câmara Municipal de Braga vai ceder à delegação local da Cruz Vermelha Portuguesa, por 20 anos, uma antiga escola primária sita na Travessa da Cruz Vermelha, Lugar da Agrinha, tendo em vista a construção de um Centro de Cuidados a Pessoas com Demência.

A cedência tem em conta “a praticamente inexistente capacidade de resposta nesta área a nível local, aliada à experiência e qualidade evidenciadas nos projectos já desenvolvidos pela Cruz Vermelha e designadamente pela sua delegação de Braga nas mais diversas áreas de apoio social”.

PUBLICIDADE

O acto permite ao organismo a entrega de uma candidatura aos fundos do PROCCOP (Programa de Celebração ou Alargamento de Acordos de Cooperação para o desenvolvimento de Respostas Sociais) para readaptação da escola.

COMPLEXO DE NEUROINTERVENÇÃO

A Cruz Vermelha irá, assim, operacionalizar um Complexo de Neurointervenção na Demência, “potenciando a melhoria da qualidade de vida das pessoas com demência, seus cuidadores formais e informais”.

O Centro de Neurointervenção (CNI) terá actividade diária para 24 utentes, oferecendo “um cuidado especializado e interdisciplinar de estimulação para pessoas com demência, permitindo intervir sobre estas perturbações num trabalho em rede com entidades dos mais diversos sectores (social, saúde. academia e investigação), de âmbito público ou privado”.

Com um horário de funcionamento, em dias úteis, das 09h00 às 18h00, “a pessoa com demência pode beneficiar de um conjunto de terapias disponíveis, bem como de todos os demais serviços”, como refeições e lavandaria, entre outros.

Para o processo de estimulação, dirigido por profissionais habilitados e com formação específica, encontrar-se-ão disponíveis seis áreas, designadamente: Terapia Ocupacional; Reabilitação Psicomotora; Estimulação na Actividades de Vida Diária; Psicologia e Gerontologia.

Este Complexo tende a responder, prioritariamente, às necessidades de pessoas com demência que residam em Braga. Terá, ainda, um Serviço de Apoio Domiciliário direccionado a pessoas com demência e suas famílias, que se desenvolve em duas vertentes: “acompanhar os utentes que saem do CNI e regressam a casa; e apoiar as pessoas com demência que não tenham condições para o integrar”.

Além dos tradicionais serviços de apoio doméstico, higiene pessoal e habitacional, engloba terapias em contexto de domicílio e o desenho de um plano individual de intervenção no seio familiar, “que, efectuado pela equipa técnica especializada, promove a autonomia e a qualidade de vida dos utentes”.