OPINIÃO

OPINIÃO -

Em tempos de pandemia, cuidar de si é cuidar dos outros!

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Artigo de Diana Rocha

 

A pandemia por Covid-19 veio assolar as nossas vidas, e desde março afetou profundamente o nosso quotidiano, a saúde da população e o mundo ficou em suspenso!

PUBLICIDADE

Depois de um verão, a meu ver muito “livre”, de convívios frequentes, de abraços saudosos, de risos sem máscara, vivia-se numa “normalidade” ilusória.

E em pleno novembro, o silêncio voltou à nossa vila, à nossa cidade, as ruas estão desertas, as lojas estão encerradas, o burburinho das pessoas já não se ouve.  

Faz-me novamente lembrar março! 

Mas com uma enorme diferença, um sistema económico nefastamente atingido e um serviço nacional de saúde em rutura. 

E falando da realidade em que vivo, em ser médica num centro de saúde em tempos de pandemia, é extenuante, é ter toda a atividade que já existia com várias condicionantes e agora toda a atividade relacionada com o Covid-19. É ter a sensação que mesmo que o dia tivesse 48 horas não conseguiria terminar as tarefas, é sentir que falhamos para com os nossos doentes porque não conseguimos dar resposta a todos, é sentir que falhamos com os que nos rodeiam. 

A nível hospitalar, registam-se novos máximos de internamentos por Covid-19 nos Cuidados Intensivos. A necessidade de se escolher quem sobrevive, e quem se deixa morrer estará mais próxima do que nunca,  o que contraria a nossa missão enquanto médicos de cuidar e principalmente de “salvar vidas”. Os profissionais de saúde estão física e psicologicamente esgotados, e estes números põem em causa a resposta do SNS a todas as outras patologias.

Este artigo não pretende criar medo ou alarmismo, mas sim alertar a população para a tríade das regras básicas mais importantes que nos pedem enquanto sociedade para cumprir: Uso de máscara, distanciamento social e lavagem frequente das mãos, para a nossa proteção individual que se traduz na proteção dos “nossos”, dos nossos pais, dos nossos avós, dos nossos familiares e amigos. 

Cada um de nós poderá fazer uma grande diferença a travar esta pandemia, de forma a não estarmos constantemente confinados. Faça a sua parte!

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS