REGIÃO

REGIÃO -

Esposende acolhe famílias fugidas da guerra na Síria e Iraque

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O presidente da Câmara Municipal de Esposende reuniu com um grupo de 21 refugiados oriundos da Síria e do Iraque, que vão ficar instalados em Fão, no âmbito de um protocolo de parceria a estabelecer entre o município e a Adolescere – Associação de Apoio à Criança e ao Adolescente.

No encontro, Benjamim Pereira manifestou “total disponibilidade” do município para ajudar as quatro famílias de refugiados, compostas por adultos, jovens e crianças, “nesta fase das suas vidas em que se viram obrigados a sair do seu país”. 

“A nossa comunidade está disponível para vos acolher e para vos ajudar. Sei que passaram momentos muito difíceis e nós vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para vos acolher bem e integrar na comunidade”, afiançouo autarca, notando que, além da Câmara, também a União das Freguesias de Apúlia e Fão “está disponível para colaborar neste processo”, como garantiu o presidente Luís Peixoto.

PUBLICIDADE

Notando que a integração engloba um “conjunto vasto de acções”, garantiu que “todos estão empenhados em colaborar”.

 “Tendo em conta o carácter humanitário e urgente desta resposta, o município manifestou, desde logo, abertura para promover e dinamizar acções que favoreçam uma maior e melhor integração destes cidadãos, facilitando o seu processo de integração social”, enfatizou Benjamim Pereira.

A sessão, informal de boas vindas, que decorreu na residencial onde estão instalados, contou também com a presença da vice-presidente e vereadora responsável pelo pelouro da Coesão Social, Alexandra Roeger, do presidente da Junta da União das Freguesias de Esposende e Fão, Luís Peixoto, e de representantes da Adolescere.

Aquela associação desenvolve, em parceria com o Alto Comissariado para as Migrações (ACM), respostas dirigidas a famílias refugiadas, recém-chegadas a Portugal, com foco na integração, inclusão e respostas a crianças e jovens. 

É neste contexto, que criou uma resposta de acolhimento – Acolher Fão – tendo por base a experiência do polo de Braga, onde serão recebidos 45 cidadãos (adultos, jovens e crianças), sendo que os primeiros 21 chegaram agora a Fão.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS