Entre a próxima sexta-feira e 3 de junhoEsposende promove Fórum para debater Educação e Património

Entre a próxima sexta-feira e 3 de junho
Esposende promove Fórum para debater Educação e Património

Esposende promove, entre a próxima sexta-feira e 3 de junho, a edição de 2018 do Fórum da Educação. Subordinado ao tema ‘Educação e Património, este fórum visa a promoção da reflexão sobre estas duas realidades, apontando os contributos que ambos adquirem no desenvolvimento e transformação dos indivíduos, da comunidade e da região.

A Comissão Europeia estabeleceu 2018 como o Ano Europeu do Património Cultural, apresentando como principais objetivos a promoção da diversidade cultural, do diálogo intercultural e da coesão social. Foi nesse pressuposto que assentou a decisão de eleger ‘Educação e Património’ como mote para o Fórum da Educação deste ano, alertando, assim, para o importante papel que o património tem no desenvolvimento educativo, social e económico das comunidades.

PUBLICIDADE

Um dos principais vectores que se procura enfatizar é o do contributo do Património e da História para a construção e enriquecimento do currículo local, ao nível do sistema formal de ensino, assim como para o esboço de experiências e oportunidades educadoras dirigidas a todos os cidadãos, um dos importantes patrimónios de qualquer comunidade.

 

PROGRAMA DIVERSIFICADO

No dia 25 Maio, pelas 18h15, o Fórum Municipal Rodrigues Sampaio acolhe a sessão de abertura, pelo presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, e por José Mesquita, Delegado Regional de Educação do Norte.

Segue-se a conferência ‘Educar através do Património Cultural: pontes para o futuro’, por Helena Pinto, do Centro de Investigação Transdisciplinar ‘Cultura, Espaço e Memória’ da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

João Terras, professor, historiador de arte e monitor de Educação e Mediação Cultural na ‘A Oficina’, de Guimarães, aborda ‘A arte popular e seus reflexos na história local – uma proposta de relação no trabalho criativo com alunos do 1.º CEB, em Esposende”. A moderação cabe à vereadora da Educação, Angélica Cruz.

Já no dia 28 Maio, pelas 21h30, na Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, realiza-se a tertúlia ‘O património dos afectos num tempo sem tempo’, com a participação de Teresa Freire, da Escola de Psicologia da Universidade do Minho, e a moderação de Cristina Nogueira, presidente da Federação das Associações de Pais e Encarregados de Educação do concelho de Esposende.

No dia 29 Maio, às 21h30, no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, debate-se ‘O Património no desenho do currículo local’, versando ‘O Património local na Escola’, por Sampaio Azevedo e Adília Terra, do Agrupamento de Escolas António Correia de Oliveira. Sandra Amorim, da Escola Profissional de Esposende, aborda “O Património como promotor de identidade”.

Ainda dentro deste painel, Paula Cepa, do Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio apresenta o tema ‘Formar cidadãos agentes de mudança – o Património’ e José Carlos Loureiro, da Escola Secundária com 3.º ciclo Henrique Medina, reflete sobre o tema ‘Educar: o universal e o local, entre a memória e a esperança’. Da Câmara, Ana Paula Almeida e Diogo Vilarinho Zão abordam ‘O Património: compromissos de um município educador’. A moderação cabe a Valdemar Almeida, da Universidade Católica Portuguesa – Porto.

Nos dias 30 e 31 maio, o Largo Rodrigues Sampaio acolhe uma Mostra Educativa dirigida ao Ensino Superior, Secundário e à Educação de Adultos, na qual participam as universidades do Minho, os politécnicos do Porto, de Viana do Castelo, do Cávado e Ave, do ISAVE, I. Universitário da Maia, U. Católica, CESPU – Ensino Superior, Escola Secundária Henrique Medina, Escola Profissional de Esposende e Centro Qualifica Litoral Cávado.

No dia 30 de Maio, o Auditório Municipal acolhe a actividade ‘O Futuro que procuras’, que iniciará às 15 horas com uma conferência proferida por Ana Teresa Penim, Psicóloga Social e das Organizações e Mestre em Coaching. Pelas 16h45, uma tertúlia reúne ‘Percursos que inspiram’, com João Cruz- director operacional da PROZIS, Rute Moreda – escultora; Mário Jorge Silva – engenheiro químico, Cecília Araújo – diretora comercial do grupo AXIS, Hernâni Oliveira – investigador científico em Media Digitais e Saúde, cabendo a moderação a José Marques da Silva.

No dia 2 de Junho, pelas 15h30, também no Auditório Municipal, realiza-se o Seminário de Educação e Formação de Adultos em que Bravo Nico, da Universidade de Évora, aborda a ‘As Mãos que vês nas coisas transformadas – Cultura e Território, processo(s) de aprendizagem ao longo da vida’; José Manuel Castro, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, apresenta a ‘Importância da educação não-formal e informal no contexto de mercado de trabalho’; e António Leite, Delegado Regional do Norte do Instituto do Emprego e Formação Profissional, intervém sobre ‘Indicadores e tendências de empregabilidade em Portugal’, cabendo a moderação à vereadora Angélica Cruz.

Paralelamente, decorrem atividades culturais. Entre os dias 25 de Maio e 1 de Junho, realizar-se um espetáculo produzido pela Escola de Música ‘Viagem pelo Universo dos Instrumentos’ dirigido aos alunos do 1º CEB. A 26 de maio, pelas 21h30, o Auditório Municipal acolhe o concerto ‘Raízes – de Portugal a África’, pelo Coro de Pequenos Cantores de Esposende e a 2 de Junho, pelas 21h30, o Fórum Municipal Rodrigues Sampaio recebe o espectáculo ‘Mar – memórias co(a)ntadas’, pelo Coro Ars Vocalis, com declamação de Agostinho Teixeira, a partir da seleção de textos de José Felgueiras e sob direcção de Helena Venda Lima.

As comemorações do Dia Mundial da Criança assinalam-se entre 28 de Maio e 8 de Junho, com o teatro ‘A Menina Serpente’, um espectáculo itinerante, através de um conto dramatizado e musicado, a partir da obra de Almada Negreiros, que percorrerá todos os Jardins.de-Infância e Escolas do 1.º CEB do concelho. No mesmo âmbito, são promovidas actividades lúdicas e pedagógicas dirigidas às crianças e famílias, nos dias 2 e 3 de Junho, no Parque Radical, que contam, entre outras, com propostas de exploração do nosso património.

FG (CP 1200)