VILA VERDE

VILA VERDE -

Estradas, floresta e turismo. As ideias de Paulo Marques (CDS) para Vila Verde

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O presidente do CDS-PP de Vila Verde, Paulo Marques, defendeu esta segunda-feira que os fundos europeus pós-Covid-19 são «uma excelente oportunidade» para o concelho no sentido de «dar um impulso sério, económico, mas também social» a Vila Verde.

«Um impulso para se fazerem as obras que andam há décadas a serem sucessivamente adiadas», refere, em comunicado, o líder centrista, que aponta à necessidade de serem melhoradas as vias de comunicação e de serem delineados planos estratégicos de ordenamento do território e da floresta, assim como para potenciar o turismo de natureza.

PUBLICIDADE

«É urgente apresentar ao Governo de Portugal ideias firmes, objectivos claros e propostas para viabilizar e responder aos gravíssimos problemas de abandono das terras, envelhecimento da população e falta de oportunidades no concelho de Vila Verde. É preciso fazer ver o poder político, centralizado em Lisboa, que aqui há ideias, há uma estratégia e há vontade, firme, de modernizar e preparar o concelho para o futuro. Dizer-lhes que chega de anos e anos de promessas adiadas, isto enquanto ainda é tempo de reverter esta linha descendente na economia e demografia do concelho», frisa.

Sobre as vias de comunicação, Paulo Marques defende que deve ser realizado um plano para a criação de uma ligação rodoviária «rápida e moderna que cruze o concelho de Norte a Sul».

«Há que negociar com os Municípios limítrofes e em conjunto apresentar uma estratégia comum; será bem mais produtivo e terá bastante mais força. Temos de conseguir ligar, por exemplo, Aboim da Nóbrega e Valdreu a Braga em 20 minutos, só assim seremos verdadeiramente competitivos na captação de pessoas e investimento para o concelho e para o turismo», explica.

Para o líder centrista, também a EN 308, que faz a ligação da rotunda do Bom Retiro, em Vila Verde, aos Corvos, «deve ser reformulada no seu trajecto» para que o acesso à auto-estrada seja «muito mais rápido».

Noutro âmbito, Paulo Marques considera ainda que é necessário «realizar um plano para aproveitamento e ordenamento da floresta e da agricultura do concelho», sendo que «no que respeita à floresta, deverá ser realizado pela CIM numa estratégia mais abrangente de ordenamento florestal de todo o Cávado».

O líder do CDS-PP Vila Verde defende que é importante «realizar uma estratégia integrante de todo o concelho para o turismo de natureza».

«Como venho repetindo, esse é eixo central de desenvolvimento deste concelho e dos negócios. É preciso uma estratégia global, integrada e comercialmente coerente. Estamos já com anos de atraso. Também aqui é uma excelente oportunidade de se fazer bem», afiança.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.