ÚLTIMA HORA - Ex-administradores dos TUB culpados de corrupção. Mas saem em liberdade por prescrição

ÚLTIMA HORA -
Ex-administradores dos TUB culpados de corrupção. Mas saem em liberdade por prescrição

Cinco arguidos absolvidos no caso dos TUB, três deles por prescrição dos crimes! O Tribunal de Braga considerou, hoje, que os ex-administradores dos TUB- Transportes Urbanos de Braga, Vítor Sousa (ex-presidente) e Cândida Serapicos (ex-vogal), receberam «luvas» pela compra de autocarros à antiga MAN/Braga (Oficina Senhor dos Aflitos), mas sustentou que os crimes de corrupção passiva prescreveram em 2013, absolvendo-os, por isso.

O mesmo sucedeu com o administrador da MAN/Portugal Luís Paradinha que o Tribunal considerou culpado de corrupção activa, por ter favorecido a MAN/Braga num concurso de compra de autocarros em 2007, e para que esta empresa desse uma «comissão» aos dois ex-administradores.

O Tribunal absolveu, totalmente, o director técnico dos TUB, Luís Vale considerando que não recebeu qualquer dinheiro nem interferiu nos concursos públicos de aquisição de autocarros, para favorecer a MAN.

PUBLICIDADE

O colectivo de juízes absolveu, ainda, a própria MAN/Portugal, também julgada por corrupção activa, crime que não foi provado.

Os juízes concluíram que Vítor Sousa terá recebido 52 mil euros em dinheiro, não pagou, na totalidade, dois carros à MAN/Braga nem as reparações aos veículos.

Já Cândida Serapicos terá recebido 11.250 euros.