OPINIÃO

OPINIÃO -

Fátima, sempre foi, já é e será sempre mais (57). Imagem de Nossa Senhora de Fátima da Capela das Aparições (cont.)

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A imagem centenária que se encontra na Capela das Aparições é um dos grandes tesouros do Santuário e de todo o povo crente do mundo inteiro e, por isso, está no interior de uma caixa de vidro à prova de bala para a proteger. Inicialmente, estava muito próxima dos peregrinos, a capela era muito pequena, sendo guardada todas as noites por uma senhora em local mais seguro. Foi, por isso, que a Imagem não foi destruída no atentado que houve à Capelinha, em 1922. 

Em 2009, os dirigentes do Santuário resolveram colocar uma câmara de vídeo na Capelinha das Aparições focada, 24 horas por dia, para o local onde a imagem centenária de Nossa Senhora de Fátima está colocada. Além da vigilância, há também uma proximidade maior com todos os devotos da Virgem de Fátima. 

O Dr. Marco Daniel Duarte, diretor do Departamento Cultural da Diocese de Leiria/Fátima, estudioso e responsável por várias obras de arte do Santuário de Fátima referiu ao “Jornal Observatório” que há menos de dez pessoas que estão autorizadas a mexer na imagem e, quando o fazem, calçam luvas para que tudo seja feito com muito cuidado. Além disso, só uma equipa técnica (três pessoas) dos conservadores do Museu do Santuário é que fazem a análise da conservação da imagem. Para além disso, há um pequeno grupo de pessoas formadas para a retirar e colocar no andor no momento das celebrações ou para qualquer outro evento muito excecional.

PUBLICIDADE

O mesmo historiador revelou que uma análise feita, em 2015, à escultura de cedro do Brasil não apresentava grandes estragos em relação aos seus quase 100 anos, “tendo apenas pequenos danos no revestimento, como estalos, fissuras, desgastes…” 

A Coroa feita com as joias oferecidas pelas mulheres portuguesa está guardada no Museu do Santuário e só é colocada na sua imagem em momentos especiais. É toda em ouro, decorada com pedras preciosas, mas o seu maior valor (espiritual) é o objeto que aloja que tornou a coroa motivo de veneração: uma das balas que atingiu o Papa João Paulo II, na Praça de S. Pedro, em Roma, precisamente no dia da primeira aparição, 13 de Maio, na Cova da Iria. O Papa associou logo aquele atentado com a Mensagem de Fátima, afirmando, convictamente, várias vezes: «Nossa Senhora de Fátima salvou-me a vida.» 

No ano seguinte, 13 de Maio de 1982, o Papa João Paulo II veio a Fátima, como peregrino, agradecer a proteção de Nossa Senhora. No dia 25 de março de 1984, no Vaticano e perante a imagem, levada pelo Bispo de Leiria-Fátima, saindo do seu local excecionalmente, João Paulo II consagrou o mundo ao Coração de Maria. Nesse mesmo dia, entregou ao Bispo, D. Alberto Cosme do Amaral, a bala do atentado que, oito anos mais tarde, após o atentado na Praça de S. Pedro, foi colocada na Coroa preciosa da imagem da Capelinha das Aparições e, surpreendentemente, encontram na coroa um orifício, precisamente, com a medida da bala. Para nós, crentes, a fé dita-nos que algo de providencial se afere da existência daquele espaço já existente para a colocação da projétil. À luz da fé, não podemos falar em coincidências, mas realmente de um mistério Divino. Dizia o parapsicólogo, já falecido, Óscar Quevedo, numa ação de formação que eu assisti há vários anos, respeitante aos milagres: «Deus quando quer, põe a Sua mão…»

A imagem centenária apenas saiu da Capelinha 12 vezes uma para Espanha e três vezes para o Vaticano: em março de 1984 a pedido do Papa João Paulo II para, como já se referiu, consagrar o mundo ao Imaculado Coração de Maria; em outubro do ano de 2000, partiu novamente para Roma e, na Praça de S. Pedro, o Papa, com a imagem presente, consagra o novo milénio à Virgem Santíssima e nos dias 12 e 13 de Outubro de 2013, o Papa Francisco solicitou a mesma imagem para a Jornada Mariana, levada a efeito pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização. No dia 13, o Papa Francisco, tal como já tinha feito o Papa João Paulo II, perante a Imagem da Capelinha das Aparições, consagrou o Mundo ao Imaculado Coração de Maria. Foi a primeira vez que a imagem original esteve fora de Fátima nos dias que aconteceram as Aparições, sendo substituída pela da Virgem Peregrina de Fátima. Na próxima crónica, falarei das imagens peregrinas.

Fontes diversas

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS