OPINIÃO

OPINIÃO -

Há liberdade de expressão em Portugal?

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Por Luís Sousa

Devo dizer que sim. Há, felizmente, liberdade de expressão em Portugal. Porém, sente-se que há modos de pensamento que se querem tornar reinantes e mandatórios, impondo um pensamento único sobre determinados temas.

PUBLICIDADE

O recente caso do fundador da Prozis que se manifestou contra o aborto é um exemplo paradigmático da ditadura do pensamento único que se quer impor em Portugal. Trata-se de um cidadão que, por dar a sua opinião legítima, porque é a dele, vê o nome da sua empresa enlameado nas redes sociais numa tentativa infrutífera deitar abaixo o negócio que, por mérito, construiu e que dá sustento e emprego a muitos cidadãos portugueses, nomeadamente na nossa região.

E nesta manifestação mais recente de ditadura de opinião vemos famosos, que vivem de likes e de seguidores, intolerantes com uma opinião, numa espécie de auto de fé dos tempos modernos, ainda por cima num tema fraturante que divide a opinião pública em Portugal. Se estivéssemos perante um caso de difusão de ideias racistas, xenófobas, homofóbicas ou outras que desrespeitassem os direitos humanos, fossem discriminatórias ou promovessem o ódio entre seres humanos!

A estes ditos influencers assiste-lhes o direito de ter outra opinião e, em face disso, agirem como entenderem. Porém, é, para mim, reprovável do ponto de vista ético, sobretudo pela desproporção entre a opinião em causa e o grau de intolerância com que se manifestaram em relação a ela, pondo em causa uma empresa que, por sinal, até tem importância vital nesta região do Minho, nomeadamente na Póvoa de Lanhoso onde está sediado o seu centro logístico com várias unidades industriais do grupo Prozis, empregando centenas de povoenses.

As redes sociais vieram democratizar, de certa forma, a possibilidade de emitirmos publicamente as nossas opiniões, partilharmos a nossas ideias com os outros, conhecendo-os ou não. Isso é uma mais-valia que só nos enriquece enquanto sociedade. Contudo, é importante que a tolerância e o respeito pelas diferenças que nos separam não contribuam para formarmos uma sociedade dividida a meio, numa espécie de mundo a preto e branco em que de um lado estão os que têm as boas opiniões e do outro lado o maus da fita. Pede-se mais respeito por quem pensa diferente de nós. Mais tolerância precisa-se!

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.