REGIÃO -

REGIÃO - -

Heliporto do Hospital de Guimarães impedido de receber voos nocturnos do INEM

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O heliporto do Hospital Senhora de Oliveira, Guimarães é um dos 10, dos 33 existentes em unidades hospitalares do país, proibidos de receber voos nocturnos de emergência médica. Em causa está a falta de certificação.

A notícia é avançada, esta terça-feira, pelo JN que cita dados da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), que lista os heliportos que não cumprem os requisitos, seja por falta de certificação ou requisitos técnicos como a ausência de sinalização luminosa de auxílio à aterragem.

No que diz respeito ao hospital de Guimarães, a ANAC, citada pelo jornal, adiantou “que está fechado por não reunir condições para a operação”.

PUBLICIDADE

Segundo o Guimarães Digital, fonte do hospital vimaranense assegura que “a certificação foi pedida aguardando-se uma decisão da entidade responsável”.

Nesta ‘lista negra’ está incluído o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, um dos maiores do país. As bases de Figo Maduro ou Academia Militar, na Estefânia, em Lisboa, têm sido a resposta para hospitais como o Hospital de Santa Maria, que não recebem helicópteros do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) à noite.

Também o Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, que teve a primeira equipa de helitransporte médico no país, em 1997, falta a certificação de voos nocturnos.

A lista de heliportos que não permitem aterragens nocturnas inclui ainda os hospitais Garcia de Horta, em Almada, de Santarém, de Tomar, dos Covões, em Coimbra, de Mirandela e o Dr. Nélio Mendonça, no Funchal.

Este cenário, segundo o JN, verifica-se há mais de duas décadas após o arranque do serviço de helicópteros de emergência médica.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.