BRAGAII Congresso de Nutrição reúne-se esta sexta-feira e sábado

BRAGA
II Congresso de Nutrição reúne-se esta sexta-feira e sábado

A Aula Magna da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais de Braga recebe esta sexta-feira e sábado o II Congresso de Nutrição, subordinado ao tema ‘Da Criança ao Idoso…para uma vida mais saudável’. A má gestão nutricional e os prejuízos que provoca às IPSS é outra matéria central do encontro.

“O caminho para uma vida mais saudável através da qualidade alimentar é um dos grandes desafios que se colocam de forma transversal às diferentes gerações e devem, por isso, constituir um desafio permanente da economia social”, defende o Nutricionista do Hospital pediátrico de Coimbra, Sérgio Cunha Velho, orador do congresso, citado pela organização.

PUBLICIDADE

Médicos e nutricionistas consideram fundamental uma intervenção proativa que ajude simultaneamente a reduzir os custos e a gerir melhor os recursos das IPSS.

“São milhões de euros gastos desnecessariamente todos os anos com evidentes prejuízos para instituições e para a saúde dos idosos”, advoga a organização do Congresso, que convidou para abordar esta questão específica, a nutricionista  Renata leite, da Fundação Sarah Beirão e do CAMPE.

A escolha do tema  “demonstra bem a preocupação que esta questão de fundo deve merecer da sociedade, mas em particular daqueles que trabalham de forma transversal com as diferentes gerações como é o caso das IPPS”, sustenta Sérgio Cunha Velho, que tem a companhia no debate, entre outros, do padre Lino Maia, presidente do CNIS-Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, Laborinho Lúcio, Juiz Conselheiro, dos neuropediatras Luís Borges e José Boavida e ainda de Vitor Serra, director regional do Norte da ASAE.

As diferentes soluções para uma melhor gestão e uma melhor intervenção, sobretudo precoce  nos mais novos, é uma das ideias fortes do evento que abre os trabalhos abordando, através do Cónego Roberto Rosmaninho, presidente da União Distrital de Braga das IPSS, “a importância do nutricionista nas IPSS, quer do ponto de vista da otimização dos recursos, quer de custos com a alimentação”.

O relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde, em Maio de 2017, durante o congresso, as “necessidades específicas dos idosos”, são motivo para uma mesa redonda que une Teresa Freitas do Amaral, da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, Ana Paula P. Leite, do IPO-Coimbra, os enfermeiros Bruno  e Selma da Fundação Sarah Beirão e a psicóloga Sandra Martins, do hospital da Misericórdia da Mealhada.

As consequências de um mau regime alimentar tornam-se ainda ‘penosas’ para os idosos que enfrentam outro tipo de problemas, nomeadamente ao nível  da diabetes, tema que encerra os dois dias de debate com a enfermeira Lígia Monterroso, do Instituto Superior de Saúde, a abordar a necessidade de prevenção da úlcera no pé diabético.

Neste evento científico,  estas questões específicas, não deixa de fora a avaliação aos problemas e desafios que se colocam às IPSS, matéria que é alvo de abordagem por parte da tutela da Segurança Social, no que concerne “à economia social enquanto geradora de emprego e inovação”.

Os dois dais de debate são preenchidos por diferentes iniciativas paralelas que acontecem, por  via do espaço Bfood – destinado à apresentação e degustação de produtos, na perspectiva de correcção de deficiências alimentares através dos nutricionistas Diogo Catita e Ana Cunha, e de workshops destinados à elaboração de ementas para crianças e idosos.