OPINIÃO

OPINIÃO -

Imobiliário Explosivo

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Artigo de Marco Carvalho

 

Vivemos momentos incomuns no imobiliário em Braga! Recentemente, um apartamento T3 em bom estado, mas dito “normal”, para arrendamento por 700€, recebeu mais de 30 pedidos de visita logo no primeiro dia! E muitos mais pedidos se seguiram.

PUBLICIDADE

Um outro apartamento, mais recentemente, foi arrendado antes de ser anunciado! Acontece cada vez mais! Neste caso, tratou-se de um T2 mobilado, tido como “moderno”, por 900€ de renda mensal, também em Braga! 

E então, persiste em mim esta dúvida – o que fazem estas centenas de pessoas, com quem contatamos, que procuram casa para arrendar e não a encontram?

Quanto às vendas de imóveis, os preços de venda subiram bastante nos últimos anos mas, por outro lado, o ambiente de elevada incerteza que vivemos, também torna muito arriscados os novos projetos imobiliários. Isto, acompanhado por uma crescente procura de habitação, cuja resposta, do lado da oferta, é sempre por natureza muito lenta. 

Está muito difícil neste momento comprar casa! Não é como quando comecei, há 20 anos. 

Também o atual contexto das recentes e contínuas subidas das taxas de juro, afastam ainda mais o comum dos portugueses do acesso a habitação própria. 

O que me preocupa é que, para cada vez mais portugueses está a ser barrado o acesso a habitação, quer na compra, quer no arrendamento. O que vão eles fazer? Para onde vão viver? Como vão constituir família? E se precisarem de se mudar para estudar ou trabalhar noutro local?

É fácil olhar para os sintomas e atacá-los, pensando que se está a atacar a doença! É fácil e é estúpido. 

O problema do acesso à habitação não se resolve limitando artificialmente os valores das rendas. Nem se resolve limitando a vinda de estrangeiros que escolheram Portugal para viver, que aliás, poderão ter um efeito positivo na nossa sociedade, expondo-nos a novas oportunidades, conhecimentos, experiências e projetos. Estes estrangeiros estão a ajudar-nos a construir um Portugal mais cosmopolita, conhecedor e rico.  É certamente o Portugal que queremos para os nossos filhos e netos.

O problema do acesso à habitação não se resolve maltratando e assustando senhorios e investidores. 

Para resolver eficazmente o problema do acesso à habitação é necessário atuar no lado da oferta. 

Ao aumentarmos a oferta, aumentamos a concorrência e baixamos os preços, tanto da venda como dos arrendamentos. Não é simples, mas tem de acontecer desta forma.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.