REGIÃO

REGIÃO -

IPVC desenvolve sopa para ajudar a colmatar carências alimentares de idosos em lares

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) desenvolveu uma sopa enriquecida com farinha brássica desidratada para colmatar carências alimentares de idosos nos lares. 

No âmbito do projeto “Nutriage”, e Cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através do Programa Interreg V-A España-Portugal (POCTEP) 2014-2020, o intuito passava por criar soluções avançadas para melhorar a qualidade de vida dos idosos na região Galiza-Norte de Portugal. 

Para a investigadora do Centro de Investigação e Desenvolvimento em Sistemas Agroalimentares e Sustentabilidade (CISAS), Ana Cristina Duarte, «a grande aceitação por parte dos idosos institucionalizados em Portugal revela que esta sopa rica em nutrientes pode ser uma alternativa aos suplementos comerciais e aos alimentos de difícil mastigação ricos em fibra e proteínas».

PUBLICIDADE

Ana Cristina Duarte revelou também que um dos principais componentes desta sopa é a farinha de couve-galega (Brassica), adiantando que o seu consumo está associado ao efeito preventivo de algumas doenças crónicas, como cancro, aterosclerose e diabetes e que esta sopa «tem um alto teor de proteína e pode fornecer uma percentagem razoável das necessidades diárias de fibra para os idosos». 

TRABALHO DESENVOLVIDO COM CERCA DE 70 IDOSOS DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DO PORTO

Neste processo, o Politécnico de Viana do Castelo trabalhou com idosos do lar da Santa Casa da Misericórdia do Porto, um dos parceiros do projeto. «Tivemos uma fase de realização de inquéritos para perceber a adesão à Dieta Atlântica e para conhecer os gostos, as preferências e os costumes dos idosos», explicou a investigadora, adiantando que outra equipa fez o mesmo trabalho em lares na Galiza.

A etapa seguinte passava por produzir a sopa à escala industrial para esta poder ser servida nos lares e ter uma sopa rápida já preparada para vender em supermercados. “Esta fase não foi realizada a 100% por causa da pandemia que impediu o acesso aos lares”, justificou a investigadora, lamentando o facto de não se ter conseguido fazer a introdução da sopa nos refeitórios.

Durante a realização do projeto, o IPVC organizou o evento Nutriage – promoção do envelhecimento – Dieta Atlântica, em formato online. O evento contou com a presença de cerca de 143 participantes, em sessões com oradores parceiros do projeto e convidados especialistas da área.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS