REGIÃO

REGIÃO -

Loja Social Rede + Colaborativa de Esposende já tem nova casa

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Loja Social, Rede + Colaborativa inaugurou esta sexta-feira as novas instalações, um espaço que resulta de uma permuta e de obras de adaptação com um investimento municipal aproximado de 133 mil euros.

Lançado há nove anos pela Rede Social de Esposende, o projecto da Loja Social, Rede + Colaborativa procura, “através de políticas sociais activas, procura responder a situações de pobreza e de exclusão social”.

Fundada em 11 de Dezembro de 2011, em plena crise económica e social, a Loja Social já ajudou 765 famílias, traduzidas em 1.943 beneficiários, que receberam perto de 2 milhões de bens. 

PUBLICIDADE

“Nove anos volvidos, renovam-se os pressupostos que assistiram à sua criação, devido à crise causada pela pandemia”, afirmou Benjamim Pereira, presidente da Câmara esposendense.

“O alargamento da acção da Loja Social resultou na necessidade de crescer. Um novo espaço acolhe agora a Loja Social, Rede + Colaborativa, onde a gestão obedece a rigorosos critérios, cuja aplicação é apoiada por uma plataforma integrada. A Loja Social dispõe, agora, praticamente do dobro do espaço, aumentando a capacidade de resposta a problemas sociais e a necessidades específicas”, enquadrou Benjamim Pereira.

O novo espaço decorre de uma permuta e as obras de adaptação tiveram um investimento municipal aproximado de 133 mil euros. Através dessa permuta “foi possível aumentar significativamente o espaço, permitindo melhores condições de trabalho e dando outra visibilidade à Loja Social”, vincou Benjamim Pereira. 

 “A permanência de uma empresa no concelho que revelava necessidade de expansão da sua área fabril para as anteriores instalações da loja, criando, desta forma, mais postos de trabalho, medida que entronca na política de desenvolvimento económico preconizado para o concelho”, acrescentou.

Em articulação com as diversas entidades concelhias que trabalham na área social, o objectivo agora alargar a área de intervenção da Loja “para chegar aos mais vulneráveis, mas também aprofundando a formação e a capacitação das famílias”.

O autarca entende que que a Loja Social deve ser a “primeira opção” de todos aqueles que querem ajudar cidadãos carenciados, “porque aqui é garantida a correcta e justa distribuição dos bens”.

A Loja contou com 2.845 participações de voluntariado, traduzidas na realização de 27.807 horas prestadas pelos voluntários, até Dezembro 2020. Destaca-se ainda a parceria que “é basilar na operacionalização” deste projecto, tendo-se registado 415 acções dos 36 parceiros que colaboram, acrescidas da acção de 47 empresas, no âmbito da sua responsabilidade social. Destaque igualmente para a participação de 2 939.30 horas prestadas de trabalho não renumerado a favor da comunidade por 43 cidadãos, em resultado do protocolo do município com a Direcção Geral de Reinserção Social do Ministério da Justiça.

A LOJA

No seio do Conselho Local de Acção Social, privilegia-se a participação, a representação e a articulação entre organismos públicos e iniciativa social privada, promovendo a construção de um território concelhio inclusivo.

Assume um modelo de Economia Circular, onde se fomenta a partilha, a reutilização e a reciclagem dos bens, diminuindo o impacto ambiental e alargando o ciclo de vida dos bens, evitando, desta forma, o desperdício.

A Loja recebe todo o tipo de bens que tenham reaproveitamento, para reutilização ou para reciclagem. Vestuário, brinquedos, calçado, artigos do lar, têxteis, utensílios de cozinha, artigos de puericultura, material escolar, electrodomésticos, mobiliário, bens alimentares, produtos de higiene pessoal e produtos de limpeza da casa, são bens com grande utilidade para as famílias carenciadas.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS