REGIÃO

REGIÃO -

Padaria de Bragança distribui pão em troca de donativo para Liga Portuguesa Contra o Cancro

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Este sábado, Dia Mundial do Pão, uma padaria de Bragança, estudantes do ensino secundário e o IPB, uniram-se e juntos distribuíram pão em troca de uma moeda de 1 euro, que reverte para a Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Mais de 1.000 pães, com cerca de 200 gramas, foram produzidos e oferecidos à população e pelos alunos na praça central de Bragança. 

A iniciativa surgiu de uma dinâmica entre a Padaria Pão de Gimonde e o CIMO – Centro de Investigação de Montanha do Instituto Politécnico de Bragança (IPB), que converteram dois projectos em que participam, numa iniciativa solidária única.

PUBLICIDADE

Um dos projectos é o Transcolab (Laboratório Colaborativo Transfronteiriço Agro-alimentar Sustentável), um projecto que reúne universidades, centros de investigação, fundações, associações e empresas das regiões de Castilla y León e Norte de Portugal, com o objectivo de fomentar a colaboração entre o sector de investigação e o tecido empresarial, para impulsar a inovação no sector da agro-alimentar em especial a indústria cerealista. Neste projeto, a empresa trabalha directamente com o IPB.

A outra parceria foi desenvolvida com a Escola Secundária Emídio Garcia, em virtude de um convite realizado à gerente da padaria, Elisabete Ferreira, para ensinar a fazer pão aos alunos do Curso Profissional de Saúde.

“Decidimos trabalhar em conjunto e no final da semana, a Pão de Gimonde e os alunos da Emídio Garcia, vamos fazer a massa, que ficará 24 horas em repouso para ser cozida na madrugada de sábado”, explicou na véspera ao Notícias do Nordeste.

“É importante referir que trabalhamos com massa mãe e praticamos nos nossos processos produtivos tempos de fermentação longos, sem adição de aditivos, e com baixo teor de sal, aqui entra uma maior digestibilidade, um menos índice glicémico, logo sacia mais”, sublinhou a empresária, citada pelo jornal, realçando que a iniciativa contou também com a parceria da moagem Afonso Lopes, que forneceu gratuitamente a farinha.

O pão distribuído – integral, de trigo e centeio integral, pão de trigo e beterraba –   é pão mais saudável e com maior teor de fibra do que o que normalmente encontramos no mercado.

Elisabete Ferreira lembrou que a FAO – Organização para a Alimentação e Agricultura  recomenda que o consumo anual de pão seja de cerca de 100 kilos ano, para adultos e 75 kilos ano para as crianças.

“Infelizmente os valores são de cerca de 25 a 30 kilos por ano, o que nos preocupa a todos os que trabalham na fileira no cereal”, desabafou.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS