VILA VERDE

VILA VERDE -

Paulo Marques (CDS-PP) questiona: «A grande “bandeira” de Vila Verde pelo mundo é um nome e uma marca que, afinal, não pode ser usada pelo Concelho?»

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Presidente da Comissão Política do CDS-PP de Vila Verde, Paulo Marques, questionou, esta quinta-feira em comunicado enviado, sobre o porquê da «grande “bandeira” de Vila Verde pelo mundo ser um nome e uma marca que, afinal, não pode ser usada pelo concelho de Vila Verde? Andamos pelo mundo a apresentar, e bem, os lenços de namorados e depois não podemos falar deles?»

Em nota enviada, Paulo Marque começa por afirmar que «o Lenço de Namorados é mesmo uma maravilha da cultura popular». 

«E não só, é também uma bandeira do concelho e do próprio tema do Amor, universal e sem fronteiras linguísticas e territoriais. Vamos ter fé e tomará que ganhemos este concurso e para isso há que continuar a votar. Por ter um imenso potencial, confesso a minha preocupação de há já muito tempo com o que estamos a fazer ao lenço de namorados, que tanto nos dignifica e orgulha. Quem me conhece sabe o quão pessoal são para mim os lenços e a Aliança Artesanal, pela relação “umbilical” da minha mãe com a instituição, mas também pelo sinal que deu à sociedade (que espero se mantenha) sobre a emancipação e a independência da mulher. Hoje, felizmente, é absolutamente normal e banal, mas há 40 anos não o era», diz.

PUBLICIDADE

Posto isto e sobre o facto dos Lenços estarem a concorrer para ser a maravilha da cultura popular portuguesa, questiona: «Serei o único a achar incompreensível que a grande “bandeira” de Vila Verde pelo mundo seja um nome e uma marca que, afinal, não pode ser usada pelo concelho de Vila Verde? Andamos pelo mundo a apresentar, e bem, os lenços de namorados e depois não podemos falar deles?», acrescentando «gastamos milhões a falar do Lenços de Namorados e, imagine-se, quem ganha com isso é uma empresa privada de Paredes, distrito do Porto (que é a dona da marca Lenço de Namorados). Isto é normal? É justo?».

Ressalva, ainda: «“Vendemos” os Lenços pelo mundo e não podemos dizer que são nossos? Nem usar a marca “Lenço de Namorados”?»

«ERRO INFANTIL QUE NÃO CONSIGO QUALIFICAR DO PONTO DE VISTA DA INCOMPETÊNCIA, DESLEIXO E FALTA DE CAPACIDADE DE GESTÃO»

Mais à frente, o centrista explica que «infelizmente, é exatamente o que acontece. O dono da marca “lenço dos Namorados” é uma empresa de nome “Lenço dos Namorados – Unipessoal Lda”, com sede em Paredes, distrito do Porto. Porquê? Porque alguém, quando viu que era um bom negócio, registou a marca e – justifiquem-me isto – o município de Vila Verde nunca registou a marca nem protegeu direitos sobre o “ex-líbris de Vila Verde e do amor” como diziam os responsáveis camarários… apesar dos milhões que já gastava com ela. Isto já foi em 2009.  Isto é um erro tão infantil que, muito sinceramente, não o consigo qualificar do ponto de vista da incompetência, desleixo e falta de capacidade de gestão. Ultrapassa-me».

«INVESTIMENTO QUE NÃO PUDEMOS USAR»

O líder do CDS-PP de Vila Verde nota também que «no fundo, todo o investimento de anos e anos (e são muitos milhões) na promoção do concelho como o concelho dos Lenços de Namorados com “meses” do romance, jantares de 90.000€, presença nos aviões da TAP, em feiras nacionais e internacionais, televisão, brochuras, revistas, etc, etc, não passa de um investimento que não podemos usar, nem sequer falar dele, porque uma empresa privada tem o registo do nome. Irónico no mínimo. Imagine-se que até já fomos multados por usar o nome Lenço de Namorados. Para mim isto é um crime, ponto. No mínimo, estamos a falar de gestão danosa da imagem de um concelho e de muito dinheiro público. E ainda há a questão da certificação dos lenços».

«Tudo isto é resultado, directo ou indirecto, de maiorias absolutas a mais na gestão do município. É o que dá as maiorias! Vila Verde precisa de mais responsabilização de gestão, é bom que os vilaverdenses deixem de premiar quem tão mal os gere… sejam lá de que partidos forem», conclui.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.