Congresso Nacional abriu guerra pela concelhia

Congresso Nacional abriu guerra pela concelhia -

PSD aguarda posição “pacificadora e de união” de Vilela

Share on facebook
Share on twitter
Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Com eleições para a concelhia à porta, ainda que à distância de dois a três meses, agitam-se as águas no PSD. Os diferentes contendores estão a congeminar estratégias, a debater em surdina soluções e alternativas à liderança “pouco pacífica” de Rui Silva, o actual presidente da comissão política e recandidato, como o próprio já afirmou, em entrevista, ao jornal “O Vilaverdense”.

É que as eleições nacionais do partido dividiram as hostes locais no apoio a Santana Lopes e a Rui Rio. O Congresso Nacional laranja só serviu para extremar posições entre dois lados: o de Rui Silva, actual deputado, que abraçou uma aliança estratégica com o “super militante” cervanense Hélder Forte; e o da ala mais conservadora do partido, alinhada com o poder fernandista que segura o partido desde as autárquicas de 1997, altura em que partido assume o poder autárquico pelo cunho do jovem José Manuel Fernandes.


LEIA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO IMPRESSA DE ABRIL DO JORNAL “O VILAVERDENSE”, NAS BANCAS!

PUBLICIDADE

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS