Congresso Nacional abriu guerra pela concelhia

Congresso Nacional abriu guerra pela concelhia -

PSD aguarda posição “pacificadora e de união” de Vilela

Share on facebook
Share on twitter
Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Com eleições para a concelhia à porta, ainda que à distância de dois a três meses, agitam-se as águas no PSD. Os diferentes contendores estão a congeminar estratégias, a debater em surdina soluções e alternativas à liderança “pouco pacífica” de Rui Silva, o actual presidente da comissão política e recandidato, como o próprio já afirmou, em entrevista, ao jornal “O Vilaverdense”.

É que as eleições nacionais do partido dividiram as hostes locais no apoio a Santana Lopes e a Rui Rio. O Congresso Nacional laranja só serviu para extremar posições entre dois lados: o de Rui Silva, actual deputado, que abraçou uma aliança estratégica com o “super militante” cervanense Hélder Forte; e o da ala mais conservadora do partido, alinhada com o poder fernandista que segura o partido desde as autárquicas de 1997, altura em que partido assume o poder autárquico pelo cunho do jovem José Manuel Fernandes.


LEIA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO IMPRESSA DE ABRIL DO JORNAL “O VILAVERDENSE”, NAS BANCAS!

PUBLICIDADE

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.