REGIÃO –

REGIÃO – -

PSD/Barcelos lamenta degradação de estradas municipais e alerta para perigo de lagoas de Caulinos

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O PSD de Barcelos lamentou, em conferência de imprensa, que “os 163 km de estradas municipais (EM) estejam, muitos deles, em estado de elevada degradação, constituindo um perigo para a segurança dos cidadãos”.

“Na EM 505, em 13 km entre Negreiros e Barcelinhos, o expoente da degradação situa-se em Negreiros, uma estrada “escavacada”, insegura, uma verdadeira armadilha e má imagem para Barcelos, porque Negreiros é uma porta de entrada no concelho, a 9 km de Famalicão e 12 da Póvoa/Vila do Conde, e em Remelhe, que é um destino de visita a D. António Barroso”, afirmou o seu presidente, José Luís Novais.

PUBLICIDADE

E acrescentou: “A maior EM é a 306 – desde Alheira a Macieira – atravessa 12 freguesias ao longo de 30 km, foi requalificada há cerca de 20 anos, desclassificada de estrada nacional para municipal, e nunca mais recebeu obras de conservação”.

Já EM 554 em Vila Cova, em calçada de cubo, “está muito degradada, com pavimento irregular, bermas em terra, a servir Vila Cova, Perelhal, acesso às Freguesias de Feitos e Vilar do Monte e à EN 103”.

DEGRADAÇÃO

O líder social-democrata local afirmou, ainda, que estas, entre muitas outras estradas municipais do concelho, possuem como característica comum a todas elas: “o início de uma degradação profunda dos pavimentos e dos sistemas de drenagem de águas pluviais”.

E prosseguindo, disse: “Os Caminhos Municipais (CMs) – 276 km – requalificados nos primeiros mandatos e quase todos até à década de 90, estão com uma média de 30 anos sem intervenção”.

Para o PSD, “a segurança dos cidadãos utentes da rede viária municipal exige a conservação e manutenção dessas estradas, requalificação de pavimentos, limpeza de bermas e valetas e drenagem de águas pluviais”.

ÁGUA E CAULINOS

Na ocasião, o dirigente partidário alertou para o facto de que o Município, o executivo e o Presidente da Câmara “têm responsabilidades diretas na Proteção Civil, porquanto o Presidente da Câmara é a autoridade política de protecção civil a nível municipal, cuja omissão poderá constituir falha grave” da sua parte.

Falou, ainda, sobre as lagoas dos Caulinos – em Barqueiros, Vila Seca e Milhazes, “locais que constituem perigo de vida para cidadãos, porque não estão protegidas, não estão vedadas ao acesso de cidadãos, a queda dentro de qualquer lagoa pode acontecer, tornando o salvamento muito difícil”.

“São lagoas com uma grande profundidade de água, uma densidade e composição da água que impedirá a visibilidade de qualquer corpo humano que, por qualquer motivo, possa cair dentro dessas lagoas”, avisou.

Na conferência de imprensa, José Luís Novais acusou, ainda, o PS, que governa o Município, de, “durante quase 10 anos, não ter cumprido as promessas feitas em torno do abastecimento de água, tendo feito um mau negócio para os cofres da Câmara e para o desenvolvimento do concelho”.

“A Adenda ao Contrato de Concessão da Exploração e Gestão dos Serviços Públicos Municipais de Abastecimento de Água e Saneamento de Barcelos, proposta pelo Presidente da Câmara na reunião extraordinária de 18/01/2019, representa a capitulação total do PS e a cambalhota completa face às promessas do PS em 2009 e face ao discurso do autarca e dos executivos PS”, afirmou.

O Vilaverdense/PressMinho contactou o Gabinete de Comunicação da Câmara de Barcelos, tendo ficado a saber que o presidente da Autarquia, Miguel Gomes, comenta as críticas, no final da reunião de Câmara desta sexta-feira.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS