VILA VERDE

VILA VERDE -

Relação confirma condenação de António Vilela por concurso “à medida”

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Tribunal da Relação de Guimarães recusou o recurso apresentado pelo ex-presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, confirmando a condenação judicial de que foi alvo, por prevaricação, no Tribunal de Braga.

Em Fevereiro, o então autarca foi condenado a três anos e meio de prisão, com pena suspensa, e a perda de mandato, por o tribunal ter considerado que influenciou o concurso público para a chefe de Divisão Financeira da autarquia.

PUBLICIDADE

Segundo a decisão, aquele concurso, feito em 2009, terá sido um «fato à medida» da candidata vencedora.

António Vilela recorreu para a Relação de Guimarães, que, por acórdão de 22 de Novembro, julgou essa contestação «totalmente improcedente», entendendo manter «na totalidade» a matéria de facto provada e não provada considerada pelo tribunal de primeira instância.

Os membros do júri do concurso foram absolvidos: António Zamith Rosas (ex-vereador da Câmara de Vila Verde e actualmente director do Urbanismo no Município de Braga), António Silva Ferraz (professor universitário aposentado, indicado pela Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho) e Ângela Pinheiro da Costa (jurista, chefe da Divisão Jurídica na autarquia).

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.