OPINIÃO -

OPINIÃO - -

Reuniões no âmbito dos Cuidados de Saúde Primários: perda de tempo ou ferramentas produtivas?

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Nos Cuidados de Saúde Primários, no horário dos profissionais de saúde, está contemplado um período para a realização de reuniões que podem envolver todos ou apenas alguns dos elementos da equipa multiprofissional. No entanto, serão todas as reuniões produtivas? A efetividade e a produtividade de uma reunião dependem da clareza dos objetivos definidos para todos os participantes, da preparação com antecedência da mesma, da garantia do dinamismo durante as mesmas e da avaliação dos resultados obtidos, para garantir a melhoria contínua. Para tornar as reuniões eficazes podemos aplicar as várias etapas do ciclo PDCA. Este ciclo inicia-se com a etapa do Planeamento (Plan), que consiste na preparação da reunião propriamente dita com as seguintes tarefas: definição dos objetivos da reunião; escolha dos participantes; elaboração da agenda, com a definição da data, horário e local da reunião e organização da logística.

Segue-se o Desenvolvimento (Do) da reunião com o seu início e término de acordo com as horas previstas, independentemente do atraso de alguns participantes; esclarecimento das regras da mesma, recordando a agenda; designação de um participante para redigir a ata da reunião, bem como definição de prazos e responsáveis para ações futuras. Durante esta fase devem evitar-se assuntos que não estão contemplados na agenda inicial, bem como proceder à certificação de que todos os participantes estão conscientes das decisões tomadas.

É importante que o condutor da reunião encoraje a participação de todos com a exposição das suas ideias e evite o julgamento durante a apresentação dos membros da equipa. Por fim, é essencial que se faça um resumo da discussão de cada tema para confirmação e validação de todos os participantes. Segue-se a fase pós-reunião com a certificação (Check) de que a ata da reunião é enviada a todos os participantes, bem como a verificação de que os compromissos assumidos na reunião sejam cumpridos dentro dos prazos estabelecidos. A última fase do ciclo (Act) prende-se com uma análise crítica sobre as ações corretivas apresentadas, assim como com a reflexão de cada participante sobre a condução da reunião propriamente dita. Nesta fase é crucial que cada elemento participante realize uma análise SWOT (strengths, weakness, oportunities, threats), com a exposição dos pontos fortes e pontos fracos, assim como possíveis ameaças e oportunidades de melhoria.

PUBLICIDADE

Algumas regras gerais contribuem para o sucesso de uma reunião: o moderador da reunião deve compreender os princípios das reuniões eficazes e ter competências de facilitador, bem como dar oportunidade à participação de todos os elementos, garantindo o respeito pela opinião dos outros; evitar interromper o outro; todos os telemóveis devem estar desligados ou colocados em silêncio; o horário do início e término da reunião devem ser cumpridos e a solicitação de um feedback construtivo deve ser requerida.

Considero que as reuniões, quando devidamente planeadas e organizadas, são uma das ferramentas mais vitais no que diz respeito à partilha de ideias e estimulação do espírito de equipa, proporcionando planos de ação que visam, em última análise, melhorar a produtividade.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS