REGIÃO –  Câmara de Vieira do Minho denuncia perigo iminente na EN 103 que liga Braga a Chaves

REGIÃO –
Câmara de Vieira do Minho denuncia perigo iminente na EN 103 que liga Braga a Chaves

O presidente da Câmara de Vieira do Minho, António Cardoso, alertou esta quarta-feira publicamente para uma situação de “perigo iminente” na EN103, na zona de Louredo, naquele concelho, decorrente da derrocada, há meses, do muro de suporte da via.

“A derrocada registou-se já há largos meses, uma parte da estrada abriu, mas até agora a única coisa que as Infraestruturas de Portugal (IP) fizeram foi colocar alguma sinalização de perigo no local. De resto, rigorosamente nada mais foi feito”, disse o autarca à Lusa.

PUBLICIDADE

Contactada pela Lusa, fonte da IP disse que a obra de reparação terá início na próxima semana.

António Cardoso sublinhou que se trata de uma situação de “perigo iminente”, até porque o estado da estrada se tem vindo a agravar progressivamente.

“Já alertámos as IP duas vezes, uma há vários meses e outra na semana passada, mas não obtivemos qualquer resposta”, acrescentou.

Disse que a derrocada ocorreu, numa extensão de cerca de 10 metros, estando um terço da uma faixa de rodagem “sem alcatrão e sem tapete, com uma cratera aberta”.

Ao lado, sublinhou, há um talude com seis ou sete metros de altura.

Cardoso lembrou ainda que aquela estrada liga Braga a Chaves e a Espanha, sendo “muito frequentada diariamente por pesados de mercadorias e autocarros escolares”.

Segundo a fonte da IP, após a derrocada, e como “medida de segurança dos automobilistas”, o local foi “devidamente” sinalizado, tendo também sido implementou um condicionamento de tráfego.

A IP acrescenta que “de imediato procedeu à avaliação do local e deu início ao desenvolvimento de uma solução tendo em vista a reparação da via”.

“Complementarmente, os técnicos da IP têm vindo a monitorizar e a acompanhar a evolução desta situação no sentido de, caso se verifique necessário, implementar medidas adicionais de modo a garantir a segurança dos utilizadores”, remata a empresa.