REGIÃO

REGIÃO -

Covid-19. Câmara de Caminha informa passageiros do ferryboat sobre decisão da Xunta de Galicia 

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A Câmara Municipal de Caminha está a divulgar, através de um aviso, a todos os utilizadores do ferryboat Santa Rita de Cássia, que faz travessias diárias entre Caminha a A Guarda, a última decisão da Xunta de Galicia no combate à covid-19.

O aviso surge na sequência da resolução de terça-feira da Direcção Geral de Saúde Pública da Galiza publicada no Diário Oficial da Galiza e no site institucional do Xunta, que obriga todos os visitantes fazer um registo e fornecer os contactos.

A autarquia esclarece, contudo, todos os passageiros que Portugal, nomeadamente o concelho de Caminha, continua a ser um “destino de confiança”.

PUBLICIDADE

“Se pretender continuar em Portugal, mais particularmente no concelho de Caminha, queremos que saiba que a nossa gente, as nossas praias, a nossa paisagem, o nosso património e a nossa gastronomia, o vão acolher com a mesma simpatia e hospitalidade de sempre”, lê-se no aviso.

O município de Caminha lembra que de acordo com aquela resolução da Xunta da Galicia, no âmbito das medidas de combate ao covid-19, “todos os viajantes, de todas as nacionalidades, provenientes de Portugal e tendo como destino a Galiza, devem comunicar os seus dados pessoais e local de residência no prazo de 24 horas após a sua chegada, através do preenchimento do formulário disponível no endereço https://coronavirus.sergas.gal/viaxeiros/ ou contactando o número de telefone 881002021”.

O documento elucida que “após a comunicação dos dados mencionados, as autoridades galegas partilharão um conjunto de informações uteis e recomendações sanitárias ao viajante e facultarão um contacto telefónico que poderá ser utilizado no caso de haver algum indício da existência da doença ou sintomatologia associada”.

Dá a conhecer ainda que “os cuidados que tiverem que ser prestados pelos profissionais do Serviço de Saúde Galego não terão qualquer custo para os que deles necessitarem, incluindo a realização de testes ou de tratamentos”.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS