OPINIÃO

OPINIÃO -

“Deitar cedo e cedo erguer, dá saúde e faz crescer”

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Por Sandra Monteiro
Elemento cooptado da CPCJ de Vila Verde

Este ditado popular tão conhecido, e ainda tão utilizado, vai de encontro com um conceito, atualmente muito estudado por especialistas, a que chamam HIGIENE do SONO. Assim, a necessidade de reforçar um comportamento promotor de saúde, relacionando a qualidade do sono de uma pessoa com a sua qualidade de vida, é uma preocupação que atravessa gerações.

PUBLICIDADE

Uma boa noite de sono é importante em qualquer idade, mas assume um papel determinante numa fase de desenvolvimento em crianças e jovens. Sabemos que o sono interfere na regulação hormonal, no sistema imunitário, no desenvolvimento do sistema nervoso central e na capacidade cognitiva.

Ainda assim, percebemos que todos os dias chegam às nossas escolas crianças e jovens que não têm um padrão de sono adequado à sua idade. Esta conduta acaba por originar um comportamento mais inquieto e instável, sonolência que afeta a memória e a concentração e que, consequentemente, irá afetar o seu rendimento escolar.

Os Educadores devem, mais do nunca, estar sensibilizados para a importância do sono e para o impacto que este tem na saúde e no sucesso escolar das crianças e jovens.

É desde a infância que se devem estabelecer rotinas. Sabemos também que fazê-las cumprir é uma tarefa árdua para qualquer educador. As nossas crianças e jovens são altamente estimuladas ao longo do dia e, por isso, ouvimos regularmente manifestações argumentativas “ainda não tenho sono” ou “amanhã é fim de semana”. Naturalmente que pode haver lugar a alguma flexibilidade e negociação quanto à hora de deitar, mas esta deve ser feita com consistência e previsibilidade.

As rotinas associadas ao período de adormecer devem estar bem estabelecidas em cada casa – devem estar bem definidas as atividades permitidas ao final do dia e que conduzem até à hora de adormecer.

Mas não é só a hora de deitar que é relevante. Também a de acordar tem que merecer a mesma atenção.

Se, de alguma forma, esta tarefa se tornar insustentável, os educadores não se devem inibir de procurar ajuda profissional do médico assistente/pediatra. Hoje dia, existem inclusivamente especialistas e centros de medicina do sono que poderão ajudar a encontrar diferentes soluções para os diversos problemas.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.