JUSTIÇA

JUSTIÇA -

Dois jovens condenados por furtarem idosas na rua em Vieira do Minho, Montalegre e Chaves

Share on facebook
Share on twitter
Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Furtaram seis mulheres idosas que circulavam na via pública, em Chaves, Montalegre e Vieira do Minho, e apoderaram-se de dois automóveis. Alfredo Monteiro, de 33 anos, e David Alexandre Monteiro, de 19, ambos de Felgueiras, foram condenados, pelo Tribunal de Braga, respectivamente a oito anos e dez meses e a sete anos e três meses de prisão.

Um terceiro elemento do grupo, um menor, de 15 anos, de nome José, irmão de David, ficou internado numa instituição de reabilitação.

PUBLICIDADE

Os juízes deram como provado que em 11 de Outubro de 2018 furtaram um carro na Alameda Professor Abel Salazar, em Guimarães, que foi apreendido, dias depois, na Estrada da Circunvalação no Porto.

Concluíram, ainda que, no dia 30, os arguidos e o menor decidiram efectuar diversos roubos preferencialmente a pessoas idosas em meios rurais. Para isso furtaram outro automóvel, que estava estacionado na mesma Alameda, em Guimarães.

No dia seguinte, os três foram até Chaves, onde, no parque de estacionamento do hipermercado L.Eclerc, um deles se abeirou da ofendida Maria Emília Araújo, de 58 anos, agarrando o fio de ouro que trazia ao pescoço, puxando-o com força e arrancando parte do crucifixo e uma medalha, também em ouro.

A seguir, foram até Montalegre, onde, em Penedones, Chã, viram uma mulher de 87 anos, Ana Barroso Gonçalves. Dois deles saíram do carro e arrancaram-lhe os brincos em ouro das orelhas.

À tarde, na estrada Chaves-Braga avistaram outra mulher, Albertina Barroso Alves, de 67 anos, tendo-lhe roubado a aliança e um anel em ouro que trazia no dedo. A vítima ofereceu resistência e um deles deu-lhe um soco na cara, fazendo-a cair.

Dali, continuaram até ao concelho de Vieira do Minho, onde, pelas 15h30, quando circulavam na Estrada Nacional 103 (EN 103), em Tabuaças, viram uma outra mulher, Maria Amélia Ferreira, de 85 anos, que estava acompanhada de uma irmã, Ana Ferreira Fernandes, de 86 anos.

Dirigiram-se a cada uma delas e arrancaram-lhe os brincos de ouro das orelhas, tendo um deles dado um empurrão a Maria Amélia, fazendo-a cair. Ambas ficaram feridas nas orelhas e com hematomas no pescoço.

Fugiram dali e, mais adiante, na aldeia das Gavinheiras, Cova, no mesmo concelho, avistaram Dolores Martins de Almeida, de 71 anos, e perguntaram-lhe: “oh, dona! Este caminho vai dar aonde?” Ao que ela retorquiu: “não tem saída!”

Acto contínuo, um dos larápios arrancou-lhe os brincos de ouro das orelhas, deixando-a com feridas diversas nas orelhas e na face.

Entretanto, e alertada da presença do trio, a GNR local montou uma operação de captura e localizou os arguidos na EN 103, em Ruivães. O carro era conduzido por David, que não tinha carta. A Guarda apreendeu-lhes um porta-moedas com quatro pares de brincos de ouro, uma aliança em ouro, o crucifixo e a medalha de ouro.

Os dois condenados vão, ainda, ter de pagar 1800 euros de indemnização às seis mulheres ofendidas.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS