BRAGA

BRAGA -

Empresa de Braga lança equipamento contra o covid-19 que esteriliza calçado e vestuário

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A empresa bracarense Thermopista desenvolveu um equipamento para a esterilização de calçado, vestuário e outros materiais, capaz de eliminar o vírus SARS-CoV-2, responsável pela covid-19.

A GermiSafe BOX 54, um produto criado, acompanhado e testado em parceria com o Departamento de Física e o Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho, tem, segundo a empresa, “um grau de confiabilidade e eficácia muito próximo dos 100%”.

 Para o Rui Folha, CEO da Thermopista, o GermiSafe BOX 54 “é um equipamento inovador, único, eficiente e com uma eficácia muito próxima dos 100%, permitindo desta forma eliminar por completo bactérias, vírus ou fungos que se agarram a calçado, roupas, máscaras ou outros objectos”.

PUBLICIDADE

Trata-se de caixa de esterilização tecnologicamente avançada, desenvolvida durante a pandemia, que tem também como objectivo garantir a eliminação de vírus SARS-CoV-2, entre outros, uma vez que todo o processo é realizado em menos de cinco minutos através de desinfecção por radiação ultravioleta (UV).

Joaquim Carneiro, professor do Centro de Física da Universidade do Minho (UMinho), e o investigador Artur Ribeiro do Centro de Engenharia Biológica da UMinho, que acompanharam e testaram o equipamento, referem estar “muito satisfeitos por integrarem este projecto de investigação científica aplicada que permitiu desenvolver e validar uma tecnologia inovadora, completamente segura para os seus utilizadores e de enorme utilidade para os mais diversos sectores de actividade económica”.

O GermiSafe BOX 54 é fruto de um projecto de investigação da Thermopista, sediada no Parque Industrial de Celeirós, em Braga, que aposta há doze anos na inovação e desenvolvimento de equipamentos electrónicos de alto rendimento, em colaboração com o Centro de Física e o Centro de Engenharia Biológica da UMinho, encontra-se em comercialização para hospitais, lares residenciais, infantários e, inclusive, para grandes superfícies comerciais e para lojas de comércio tradicional.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS