REGIÃO

REGIÃO -

Encontro transfronteiriço promove caminho que liga Braga a Santiago

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

A recém-criada Plataforma Berán no Caminho, que defende o “traçado original” do itinerário jacobeu que liga Braga a Santiago de Compostela, anunciou a realização de um encontro de “carácter internacional e transfronteiriço” dedicado aos peregrinos.

“Uma comissão permanente está a organizar um evento anual chamado ‘O Caminho em nós’, que promoverá o encontro internacional de peregrinos do Caminho da Geira e dos Arrieiros (ou Minhoto Ribeiro)”, explica Abdón Fernández, porta-voz da plataforma e presidente da Associação do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro (ACJMR).

PUBLICIDADE

“O evento, ainda sem data marcada, consistirá num programa cultural, assente num projecto de carácter transfronteiriço com Portugal e pondo em relevo a situação privilegiada de Berán como um ponto de partida, pois está a 102 quilómetros de Santiago”, a distância mínima para os peregrinos a pé obterem a Compostela, adianta Abdón Fernández.

Esta é uma das principais iniciativas da plataforma, constituída no passado sábado, com o objectivo de defender o itinerário que a ACJMR apresentou em 1 de Abril de 2017, em Braga.

Está aberta à participação de todas as associações ou pessoas individuais, e pretende ainda “defender e divulgar o Caminho da Geira desde Beade pelo caminho real até Lebosende”

Neste sentido, “estão a desenhar-se diversas iniciativas, como abaixo-assinados, caminhadas e uma campanha de divulgação nas redes sociais com t-shirts alusivas ao caminho”, refere o porta-voz.

A plataforma “convida todas organizações, associações e grupos de peregrinos a passarem por Berán como gesto de apoio à manutenção do itinerário pela localidade, como está reconhecido pelo arcebispado de Santiago de Compostela” desde 28 de Março de 2019.

“Este traçado já é uma realidade, após o aval de suma importância dado pelo arcebispado, e está perto de conseguir a oficialização pelas entidades civis”, pelo que “é importante valorizar e consolidar a passagem de peregrinos por Berán”, salienta Abdón Fernández.

A Plataforma Berán no Caminho, promovida pela ACJMR, que defende um traçado semelhante ao proposto pela Associação Codeseda Viva, já recolheu 225 assinaturas físicas e 190 digitais em defesa do “traçado original” do caminho que liga Braga a Santiago, na distância de 240 quilómetros. A primeira edição de 100 t-shirts alusiva à passagem por Berán está praticamente esgotada. Esta campanha contará, em breve, com outro tipo de artigos.

CAMINHO RECONHECIDO

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi reconhecido pela Igreja no ano passado, quando o delegado de peregrinações do cabido da Catedral de Santiago, o deão Segundo L. Pérez López, assinou um certificado onde refere que o traçado cumpre “as condições de outros caminhos de peregrinação” e por isso “concede a Compostela” a quem o percorrer. Está em curso o processo de homologação pelas entidades civis.

No ano passado foi percorrido por 367 peregrinos em 10 meses. A maioria partiu de Braga (227), seguindo-se Castro Laboreiro (104), Entrimo e Ribadavia (com oito cada).

Os portugueses constituem o maior grupo (80%), havendo ainda registo da passagem de italianos, suíços, franceses, brasileiros, polacos e holandeses.

Além dos peregrinos que receberam a Compostela (e, como tal, entraram nas estatísticas), a associação Codeseda Viva considera que muitos outros o fizeram, apontando uma estimativa global de 850 pessoas.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.