REGIÃO

REGIÃO -

Esposende organiza arquivo para valorizar a memória e a identidade

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Enquanto decorrem as obras de adaptação do antigo quartel da GNR de Esposende para acolher o novo Arquivo Municipal, o Município está a proceder ao «tratamento arquivístico» de toda a sua documentação.

Trata-se de um processo «moroso» que contempla, numa primeira fase, o estudo orgânico-funcional das instituições, cuja documentação o serviço de arquivo da Câmara Municipal preserva, desde a sua fundação até aos dias de hoje, e que se torna essencial para a «identificação e compreensão dos fundos, dado que, intimamente ligado à história das instituições, está a sua documentação», explica o Município de Esposende em nota enviada.

Paralelamente a este processo, encontra-se em «fase de conclusão o recenseamento da documentação do arquivo histórico», etapa que se irá estender à restante documentação do arquivo intermédio.

PUBLICIDADE

ARQUIVO MUNICIPAL

A criação do novo Arquivo Municipal, que corresponde a um investimento de «526 mil euros, possibilitará conferir melhores condições de acomodação do acervo que se encontra disperso por diversos espaços municipais, sendo que a mudança de instalações implicará também a implementação de novos modelos de gestão documental». 

O futuro espaço estará dotado com «valências tecnológicas que facilitem a consulta, a pesquisa, a investigação e contribuam para o melhor conhecimento da História local».

O Município pretende, assim, continuar a «valorizar a memória e a identidade locais e nacionais, difundindo o seu património arquivístico e promovendo o acesso à educação, cultura e conhecimento, contribuindo para a construção de uma cidadania participativa e democrática».

DOCUMENTOS

Dos documentos presentes no arquivo histórico destacam-se a Carta Régia que elevou Esposende a Vila (1572); a Carta de Vizinhança com Barcelos (1573); a Carta de Almotaces (1574); o Livro de Registo de todas as Obrigas (desde 1611); o Livro de Registo dos Acórdãos da Câmara (desde 1639); Expostos (desde 1774); os Livros de registo de passaportes (desde 1839); os Livros de Recenseamento Militar (desde 1850); Educação (desde 1840); Recenseamento Eleitoral (desde 1822), Impostos do pescado (desde 1931); entre outros.

PEDIDOS PARA CONSULTA

Para além do tratamento técnico da documentação, e apesar de todos os constrangimentos motivados pela actual situação pandémica, o serviço de atendimento registou, em 2020, cerca de «2000 pedidos, maioritariamente realizados em regime presencial, distribuídos por buscas, consultas e digitalização de documentação».

Encontra-se também disponível no portal do Município, através da hiperligação https://www.municipio.esposende.pt/pages/1530, a agenda de marcações para consulta de documentação associada a Obras Particulares, fatia mais expressiva das solicitações realizadas ao Serviço de Arquivo. 

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.