BRAGA -
Hasta pública da Confiança sem interessados

A hasta pública municipal de venda da antiga fábrica Confiança, por 6,35 milhões de euros, ficou vazia, sem investidores. O prazo para a entrega de propostas em carta fechada acabou esta terça-feira à tarde. Assim sendo, a hasta pública não se vai realizar.

Em declarações a O Vilaverdense/PressMinho, o presidente da Câmara, Ricardo Rio, disse que vai contactar o Reitor da UMinho para disponibilizar o prédio à instituição, de modo a que esta possa construir uma residência universitária. Hipótese que o Reitor já classificou como “interessante”.

O autarca frisou que, de momento, não há doação ou cedência.“Só cederemos o edifício quando a Universidade tiver garantias de que concretizará o projecto”, sublinhou.

PUBLICIDADE

Ou seja, a Confiança continua na posse do Município, até que a UMinho encontre financiamento, estatal ou de fundos europeus.

A construção de residências universitárias em Braga e em Guimarães tem sido reclamada pela AAUM (Associação Académica da Universidade do Minho).

A primeira hasta pública de venda do prédio também não teve licitadores.

A venda da Confiança era contestada por um grupo de cidadãos de Braga, reunidos na Plataforma Salvar a Confiança, a qual meteu uma providência cautelar no Tribunal Administrativo de Braga, que se encontra por decidir.