SOUTELO -

SOUTELO - -

Junta de Freguesia reage «com imensa surpresa» à sua não inclusão na Associação de Utentes da EN 101

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

«Quer queiram quer não, a freguesia de Soutelo continuará a lutar pela EN 101». É com esta tomada de posição que reage o executivo da Junta de Freguesia de Soutelo, liderado por Filipe Silva, por ter ficado fora da recém-criada Associação de Utentes da EN 101.

Em comunicado, a autarquia soutelense diz que é «com imensa surpresa» que constata «que a recém-criada Associação de Utentes da EN 101 deixa de fora a freguesia de Soutelo».

«Uma associação que diz ter como principal missão “apresentar contributos e reivindicações que tendam a valorizar intervenções urgentes de requalificação e valorização de uma via estratégica para a mobilidade de cidadãos, bens e produtos neste vasto território servido pela EN 101», realça.

PUBLICIDADE

No entanto, acrescenta o comunicado, «reúne apenas pessoas afectas ao PSD de Vila Verde e afasta os demais. Ignora o empenho e esforço das populações soutelenses que ao longo de décadas se bateram e continuam a bater por esta causa».

Na mesma nota, a Junta de Freguesia refere «é lamentável que a força resultante da união entre os vilaverdenses, independentemente do quadrante político, se dissipe como resultado de interesses políticos que se querem sobrepor às necessidades das populações».

«Em Soutelo, o bem-estar das pessoas vem sempre primeiro. Quer queiram quer não, a freguesia de Soutelo continuará a lutar pela EN 101 e pelos direitos das suas gentes», remata.

DEPUTADO MUNICIPAL FALA EM «FARSA»

Também através de comunicado, o deputado municipal Pedro Feio Gonçalves, eleito pelo PS, veio a público dizer que a Associação de Utentes da EN 101 «pretende unicamente tirar dividendos do anúncio da intervenção de 8 milhões de euros na EN101, feito esta semana pelo Governo».

«Com o governo PS a agir, o PSD de Vila Verde, em vez de se mostrar satisfeito com estas excelentes notícias, dedica-se a criar uma associação, supostamente brotada da sociedade civil, para lançar uma cortina de fumo sobre o assunto, e tentar colher os louros da resolução do problema», aponta.

E diz que «a farsa  é visível a olho nu, bastando para isso atentar às personalidades apresentadas à comunicação social como fundadoras da associação, todas elas ligadas ao PSD e/ou ao poder instalado».

«A foto do acontecimento poderia ser retirada de um qualquer evento de campanha, restando a dúvida se não se terá recorrido a um qualquer arquivo partidário», refere, de forma sarcástica, Pedro Feio Gonçalves, para quem é incompreensível a ausência da freguesia de Soutelo desta nova associação.

«Soutelo, a primeira freguesia do concelho a ser atravessada pela famigerada via, não viu o seu presidente contemplado com um convite para integrar a associação. Será porque a sua posição política não se coaduna com os superiores interesses que estiveram na origem da mesma?», questiona.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS