JUSTIÇA

JUSTIÇA -

MP dá razão à defesa de 47 bombeiros vilaverdenses acusados de difamação, após queixa de enfermeira Márcia Costa

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Ministério Público (MP) deu, hoje, no debate instrutório, razão a dois dos advogados de defesa de 47 bombeiros dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde (BVVV) que foram acusados dos crimes de difamação e denúncia caluniosa, na sequência de uma queixa da ex-responsável de formação da corporação, Márcia Costa. O caso remonta a 2015 quando este grupo de bombeiros entregou um abaixo-assinado ao então comandante José Lomba, tecendo duras críticas à profissional de saúde.

Ao que o Vilaverdense/Pressminho apurou de fonte judicial, o advogado João Araújo da Silva, que defende 19 bombeiros, alegou que o processo enferma de uma nulidade, a da “caducidade do direito de queixa”, isto porque a enfermeira apenas se queixou de 47 dos 53 subscritores de um abaixo-assinado enviado ao Comando.

Já o jurista Carlos Arantes, também, com escritório em Vila Verde, alegou que os acusados apenas exerceram o seu direito à liberdade de expressão, no caso criticando o modo como a enfermeira lhes dava formação. Ambos os juristas pediram, por isso, que o não haja pronúncia e que o caso seja arquivado.

PUBLICIDADE

Já o advogado da queixosa insistiu na tese de que o abaixo-assinado teve motivos caluniosos e ofensivos da sua honra.

O juiz de instrução adiantou, no final, que a decisão instrutória será enviada às partes, por correio. O debate de hoje decorreu no Centro Cívico de Plmeira, Braga, local onde se têm realizado os julgamentos que envolvem muitos arguidos.

ACUSAÇÃO

O despacho de acusação que “Márcia Susana Gomes da Costa, na qualidade de bombeira de 3ª) no período temporal compreendido entre 19 de Janeiro de 2013 e 13 de Fevereiro de 2015, veio a desempenhar funções de responsável pela área de instrução de tal corporação de bombeiros, na sequência da sua nomeação, para o efeito, através da Ordem de Serviço nº 4/2013, de 19 de Janeiro, emitida pelo Comandante dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde.”

O MP acrescenta que “no dia 13 de Fevereiro de 2015, os arguidos – à data, também bombeiros da aludida corporação de BVVV – agindo em conjugação de esforço, subscreveram/assinaram e entregaram ao Comandante dos BVVV um documento denominado ‘Abaixo Assinado’ – previamente redigido, de comum acordo” e no qual criticavam os métodos de Márcia Costa.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.