JUSTIÇA

JUSTIÇA -

MP pede penas de 22 e 19 anos de prisão para casal que asfixiou mulher no Fujacal

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

O Ministério Público (MP) solicitou, nas alegações finais, a condenação do casal que foi julgado no Tribunal de Braga pelo homicídio, em Novembro de 2020, de uma mulher, propondo, em concreto, as penas de 22 anos e seis meses de prisão efectiva para Júlio Pereira de Araújo e de 19 anos para Maria Helena Gomes.

As penas parcelares pedidas para o arguido foram de 20 anos por homicídio qualificado, um ano por profanação de cadáver e 18 meses por falsidade informática, neste caso devido ao levantamento no multibanco de 220 euros da conta da vítima, já depois de ela ter sido asfixiada.

PUBLICIDADE

Quanto a Maria Helena, a pena solicitada pela procuradora do MP corresponde a 18 anos pelo homicídio e a mais um por profanação.

A magistrada considerou provada a co-autoria do homicídio de Maria da Graça Ferreira, de 69 anos, ocorrido num apartamento do Fujacal, em Braga, e sublinhou que a vítima dormia num quarto quando foi asfixiada com um pano com lixívia por Júlio, que era seu amante.

O corpo foi levado, 24 horas depois, de madrugada, para um caminho em Montélios, onde foi encontrado por passantes.

INOCENTES, DIZ A DEFESA

Já o advogado de defesa do arguido – do escritório Soares & Gonçalves, de Braga – defendeu que foi Maria Helena quem matou a vítima, argumentando que Júlio apenas participou nos actos subsequentes, os de esconder e transportar o cadáver, telefonar para a funerária e de ir ao multibanco, isto por temer que viesse a ser acusado por ela, como sucedeu, da prática do crime.

Já a defensora da arguida sustentou a tese de que foi Júlio quem planeou e executou o assassínio, no que Maria Helena colaborou por viver com medo dele e fazer tudo o que ele lhe pedia.

O homicídio – diz a acusação – terá sido motivado pelo facto de a vítima querer anular um testamento em que deixava um apartamento a Júlio Araújo.

A leitura do acórdão ficou para finais de Outubro.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.