VILA VERDE

VILA VERDE -

Paulo Marques (CDS-PP) apela «à calma e à responsabilidade de todos»

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Paulo Marques, Presidente da Comissão Política do CDS-PP de Vila Verde apela, em comunicado enviado este sábado, «à calma e à responsabilidade de todos» face ao surto de Covid-19 registado nos últimos dias no Concelho.

«É hora de serenidade e muitíssima responsabilidade. É com união e com liderança que todos passaremos por mais este surto, e susto, de forma rápida e segura. Sejamos clarividentes e objectivos nas nossas acções, pessoais e colectivas», sublinha o centrista.

Após fazer um ponto da situação, – dos números do surto de Covid-19 nos últimos dias – Paulo Marques deixa algumas observações. «Sejamos claros, porque as responsabilidades são para serem assumidas. Entre o primeiro surto, no dia 20, e a suposta reunião de “emergência” do dia 28 foram 7 dias sem nada se fazer, agravado pelo facto de, segundo a câmara, já estar agendada uma reunião “urgente” desde o dia 23. António Vilela diz hoje que “tem medo que o número aumente muito” e só ontem é que fez uma reunião depois de 7 dias dos primeiros casos?», refere, prosseguindo, «o Município só anunciou a 1ª acção depois de ser criticado publicamente pela inoperância. A verdade é que 8h depois desta crítica apareceu a dita reunião. Não é nada normal, nem fico contente sequer com isso. Aliás, já em Abril aconteceu algo do género, quando apenas foi publicamente criticada a irresponsabilidade de não cancelar o St. António, o Município foi capaz de o fazer… horas depois. Não é normal esta incapacidade e pode, sejamos claros, ser muito perigoso. Já agora, vai demorar muito até ser cancelada a festa das colheitas? Ou vamos ter uma espécie de festa do Avante em Vila Verde? Já foi marcada reunião com os pais para saberem como será o início do ano lectivo, Júlia Fernandes? É já daqui a dias», atira.

PUBLICIDADE

«GESTOS FICAM COM A MORALIDADE DE QUEM OS PRATICA»

O centrista destaca também que «não é hora de política, é certo, mas os gestos ficam com a moralidade de quem os pratica e, a partir de agora, peço-lhes que estejam à altura do cargo que ocupam e das expectativas dos vilaverdenses, sem medos, sem desculpas e assumindo o corrigindo os erros. Sejam a cara da responsabilidade por favor. É hora de união. A todos nós é pedida responsabilidade absoluta. Vamos cumprir com todos os cuidados, vamos proteger os nossos filhos e as nossas famílias. Isto vai passar, mas todos temos de fazer as coisas bem. Sejamos um exemplo por favor!, conclui.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS